O lado cômico da maternidade

A incrível (e hereditária) sutileza masculina

14 Comentários

O Rafa, meu querido marido, é conhecido, entre outras coisas, por sua até-bem-intencionada-porém-brutal honestidade ao emitir  sua opinião, principalmente no que tange a visuais femininos.

Não que ele seja um expert no assunto, não mesmo. Mas sabe como nós mulheres podemos ser susceptíveis a opiniões alheias sobre nossa aparência, né?

A mãe do Rafa e suas três irmãs devem conhecer bem esse lado dele. Afinal, qual de nós já não demorou meses escolhendo cuidadosamente aquele vestido pro evento do ano, mas sem querer optar por aquele-modelito-básico-que-não-tem-erro, resolve ousar só um pouquinho e escolher um vestido exuberante e vaporoso, algo um pouco diferente do seu estilo usual?

O dia chega, ela se veste e se sente outra mulher, deslumbrante… Ela tem quase certeza que todo mundo vai aprovar a escolha do vestido, que realça sua beleza de forma especial. Dá o último retoque na maquiagem, calça aquela sandália que só reforça a imagem de “essa-sabe-o-que-está-fazendo”, pega sua bolsa e sai toda confiante e poderosa do quarto, quando dá de cara com o Rafa.

Esse, dá um pulo pra trás ao vê-la e sem pensar duas vezes, solta:

- Credo!!! – sua interjeição clássica – Tem certeza que você vai com esse vestido?

- Quê? Qual o problema? – pergunta ela, mesmo sem ter certeza de que quer mesmo ouvir a resposta.

- Essa cor é muuuuuito feia, muito arregalada…

- Que isso, Rafael, essa cor é fashion! É a cor desse verão, todo mundo tá usando. Você não sabe de nada, tá? – reage ela rapidamente tentando se desvencilhar dele e ir logo pro carro enquanto sua auto-confiança ainda permanece intacta.

- Fashion… Pois esse negócio de fashion tá é por fora, tem que usar o que combina com você! – insiste ele mesmo com o risco de levar uma sapatada na cabeça – E olha essa gola estranha! Credo! E esse babado aqui? Melhor se você tivesse arrancado ele fora…

Pronto, a pulga que já estava atrás da orelha agora virou um hipopótamo.

- Porque? Tá feio? Mas esse babado é lindo. E a vendedora me garantiu que ficou ótimo em mim.

- Pois eu só tô querendo te ajudar. Se não fosse esse babado estranho e essa cor… aliás, que cor que é essa? é amarelo, verde? sei lá, sou daltônico mesmo… Mas até que esse vestido nem seria tão feio… Mas vamos assim mesmo que a gente já tá atrasado. Olha, pelo menos seu cabelo tá bonito desse jeito!

Pois nesse ponto, a pobre vítima já não escuta mais nada. Com seu rímel borrado pelas lágrimas que teimam em cair, com ódio profundo daquela criatura que já tinha conseguido arruinar a sua tão aguardada festa, agora ela tenta, sem a mínima esperança,  encontrar um outro vestido de última hora, que lhe faça sentir tão linda e especial como há poucos minutos atrás tinha ousado se sentir.

* * *

Cruel, não é? Pois saiba que pode ser pior.

Imagina agora que ao invés de ousar com babados e cores vivas, a mesma mulher resolva seguir a linha tradicional e por aquele vestido classudo maravilhoso pro casamento da melhor amiga.

O Rafa a olha de cima a baixo, pede pra ela dar uma voltinha e diz:

- Esse sim, é um vestido bem bonito…

Ela sorri com deleite.

- … pena que não fica bem em você – estraçalha ele, ainda que querendo ajudar, acredite.

Pois pronto. Não só acabou com a saída, como jogou a auto-estima da pobre vitima na lama pra sempre.

- Você tá querendo dizer que o vestido é bonito mas meu corpo não ajuda? – tenta clarificar ela, ainda que esperando bem no  íntimo uma retificação salvadora do tipo “não foi bem isso que eu quis dizer, agora tô vendo aqui que esse vestido não tem mesmo um bom corte na cintura”.

Mas a sensibilidade não toca seu coração e ele ainda lava as mãos soltando sua frase clássica:

- Só tava querendo ajudar, mas se você que ir vestida assim, então vamos logo que tá na hora.

* * *

Agora, não pense que ele ataca somente as mulheres próximas com suas críticas não. Sobra pra qualquer uma, até mesmo no momento mais desumano de todos: durante o próprio evento.

Foi o que aconteceu a uma amiga nossa, durante sua formatura de faculdade. Pobre MT… nunca vou esquecer uma figura tão radiante e feliz se esmorecendo daquela forma.

Ela estava linda, com sua delicadeza de sempre, em um vestido maravilhoso naquele corpinho de violão. O penteado, irretocável. Mas pecou, não ao carregar um pouco demais sua maquiagem, mas ao passar a menos de 5 metros de distância do Rafa com a maquiagem carregada.

- Lu e Rafa, que bom que vocês vieram!

- Parabéns pela formatura! Você está lindíssima! – digo eu.

- Parabéns! Que festa bacana essa! – diz o Rafa já dobrando um pouco os joelhos e analisando o rosto dela por um ângulo e luz melhores. Até que:

- Credo! – lasca ele –  o que que aconteceu com a sua cara? Tá meio… alaranjada… totalmente diferente do seu pescoço que tá… branco…

Nisso, o sorriso da nossa amiga murchou, ela pediu licença e desapareceu. Procuramos a pobrezinha por toda parte, mas nada. Durante a busca, encontramos a Carol, uma outra amiga pra quem contei a história.

Ela se recusava a acreditar que poderia existir, no mundo todo, alguém tão insensível assim como o Rafa. Olhou nos olhos dele e falou brava:

- Rafael, coitada dessa menina! Sabe onde ela deve estar agora? Chorando lá atrás sozinha na beira da piscina. E sabe porque?  Por insensibilidade sua! Deixa eu te falar uma coisa. Sempre que você ver uma mulher, mesmo que o batom dela esteja todo borrado assim ó (ela faz o movimento) ao redor da boca, e ainda que esteja parecendo  o Bozo, põe na sua cabeça que ela está linda, maravilhosa, perfeita! Principalmente se é o dia da formatura dela, entendeu?

- Mas a cara dela estava esquisita demais. Eu falei porque de repente ela podia dar uma lavadinha no rosto…

- Entendeu, Rafael?

- Entendi.

* * *

Entendeu nada, porque ele continuou fazendo isso por um bom tempo ainda. Mas já parou, finalmente, depois da gente muito conversar sobre aquele negócio do Bozo e tal. (Aliás, ele tá aqui agora do meu lado pra ter certeza de eu tô escrevendo que ele realmente já parou com isso.) Parou mesmo, viu gente!!! (Agora só usa sua “sutileza” comigo.) Pô Rafa, é verdade…

* * *

Mas então, depois de eu te contar tudo isso, você veja bem a minha sorte.

Tava eu ontem, me arrumando pra sair com o Nicolas e visto uma calça jeans com uma bata que eu amo. Nicolas, agora com quase 20 meses, tá com a mania de antes da gente sair fazer um checagem geral. Ele olha pra mim de baixo pra cima e fala apontando: sapato, calça, busa, bolsa, cabeio.

Pois ni que eu visto esta bata, ele vem e me fala:

- Sapato, calça, sacoia, bolsa, cabeio.

Sim, você não se enganou. O Nicolas chamou minha linda e amada bata de SACOLA.

::

Eu tô feita ou não tô?

* * *

Em tempo: Pra não ser injusta com o Rafa, devo adicionar que essa sinceridade toda dele vem de uma virtude muito maior que tudo isso: sua transparência e real honestidade como pessoa. Eu contei essas historias sobre ele porque o Nic, com sua espetacular lógica infantil, me fez lembrar muito delas (e rir demais). Mas não posso deixar de completar que o Rafa tem a incrivel habilidade de ser brutalmente “sutil” nesses detalhes, mas ainda muito, muito doce em todos os outros aspectos da vida.


About these ads

14 thoughts on “A incrível (e hereditária) sutileza masculina

  1. LU, QUERIDA: ja dizia a bisa do Nic “quem herda nao furta”. Acostume-se, embora jamais imaginasse que ate o Rafa fosse possuidor dessas “sutilezas”! Mas, tbem, nao leve todos os comentarios muito a serio, pois o que conta é como estamos nos sentindo no momento, ok?
    Qto ao Nic: KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.
    Bjus

    • hahahaha… Vc tem razao, tia Helena. Mas eu nao levo tao a serio esse jeito dele nao. Inclusive ate aprendi a usar a meu favor, afinal ele tem o olho clinico pra perceber que as vezes a roupa nao ta mesmo caindo muito bem.

      Mas no texto, eu dei uma exagerada basica de rimel borrado e tudo, so pra dar aquele efeito melodramatico! rsrsrsrs

      Beijos!

  2. hahahahahaha

    Otimo, otimo post! To com a barriga ate doendo de rir! Essa finalizacao do Nicolas eu nao esperava, meu Deus! Com certeza esse ai VAI seguir os passos do pai na sutileza sim, viu Lu. E nao se sinta sozinha, o maridex aqui pode ser ainda pior que o Rafael, viu? (apesar que o Credo! dele é otima, rsrs).

    Beijos!!!! E otimo findi!

  3. KKKKKKKKKK Eu tava precisando ler algo assim hoje!!! Iluminou meu dia! Acho que depois de rir tanto ate gripe passou, menina. Vc me mata com essas historias! Mas homem eh assim mesmo, em qualquer idade, eles nao tem tato nenhum. Falam o que vem na cabeca. Meu irmao eh mestre em perguntar pra mulher com barriga “saliente” se ela esta gravida. Mas que boca, meu Deus!

    Ja o caso do Nicolas chamar sua bata de sacola, por essa eu nao esperava! KKKKKKK Aguenta firme que vem muito pela frente ainda Lu!

    Grande abraço pra voces!

  4. Muito bom o post! Adorei o texto! Engraçado para quem lê, talvez um pouco menos para quem o vive! Ele seria europeu, por acaso? Europeu que é direto assim!! Cadê o “jogo de cintura” desse brasileiro?! Bem, já que ele não tem, vc tem que ter em dobro! Ou em triplo! “Quem puxa aos seus não degenera”!
    Bjs

  5. Li,querida..primeiro q td,muito obrigada pelo carinho e pelas palavras lá no blog.. ;-)
    estou animada, e em muito pelos comentarios de vcs!! obrigada mesmo,sinceramente! ;-)

    E quanto ao seu post..eu to aqui as gargalhadas e por um lado sentindo um alivio..mas n se ofenda,eu explico: eu pensava que eu era a unica no mundo que tinha me casado com o “supersincero”( n sei se vc lembra desse quadro do fantastico,com Luiz Fernado Guimaraes)… meu marido é I-G-U-A-L-Z-I-N-H-O!!!
    jA perdo as contas de quantas vezes chorei,pedi ,implorei: mo,para com isso.. e ele: vc ta me pedindo para mentir?? e eu: nãaao,mas sei lá.. fala com jeitinho..
    Ele chega a ser cruel tb…e me poe em cada saia-justa q so vendo.. uma vez estavamos no shopping e encontramos um casal que a tmepos não viamos..e eles tavam com bb a poucos dias…e ela lá toda orgulhosa mostrando o filho,e o pai: não é lindo meu filho??
    sabe o que o infeliz do meu marido disse:
    ” parece um filhotinho de cachorro!!!!!”
    eu quis morrer ..o casal nos fuzilou com o olhar… EU,que conheço a peça, sabia que era um elogio,pois se tem uma coisa que ele mais ama na vida é cachorro..mais vá lá adivinhar..quem danado gosta de ter seu filho comparado a um cachorro????
    sme falar das vezes que acaba minha roupa tb..nessa classe mesmo!kkkkkkkkkkkkkkk..
    estou super solidária a vc.. vc não e a unica a casar com um homem das cavernas..acho que Shrek deve ser mais sensivel que eles..afffff….
    E o NIc aprende rapido einhhhh???kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…
    beijaaaao e otima sexta,AMEI o post!!! ;-)

    • hahaha! Essa foi demais! Mas sinceridade tem limite, né?

      Agora quanto ao Rafa, devo dizer que essa sinceridade toda dele vem de uma virtude muito maior que tudo isso: sua transparencia e real honestidade. Eu contei essas historias sobre ele porque o Nic, depois de chamar minha bata de sacola, me fez lembrar muito delas (e rir demais). Mas não posso deixar de completar que o Rafa tem a incrivel habilidade de ser brutalmente “sutil”, mas ainda muito, muito doce em todos os outros aspectos.

      Beijos querida e obrigada pelo carinho!

  6. ah,e desculpa LUUUU, saiu a digtação errada, e saiu um I no lugar do U..desculpaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa LUuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!
    rsrssrs..
    bjaaao!

  7. HILARIO, Lu!

    Muito bem escrito! Ate chamei o maridao pra ler, de tanto que o identifiquei neste post!

    E qto ao Nic… vamos ser sinceras: vc ta mesmo é perdida, minha amiga! hahahahaah

    Beijos e otimo fim de semana pra vcs! (espero que possa assistir o jogo com o Rafa desta vez!)

  8. Lu adorei seu texto, com certeza sera uma excelente recordacao para o Nicolas quando ele crescer. Nao somente pelas perolas que esta comecando a te dar (te prepara, que vira muitas por ai), mas tambem para que ele possa conhecer o outro lado do pai,que muitas vezes eles nao demonstram para os filhos.
    Agora eu queria ver a fota da sua sacola, ops, sorry bata. Adoro batas e tenho umas quantas, mesmo agora me deixando com cara de gravida, mas quem disse que eu ligo.
    Abracos e obrigada pelas visitas.
    Adoro seus comentarios.
    Gra

  9. Muito bacana esse texto, Lu! Eu quase nao passo por aqui (vida na mesma correria de sempre), mas vejo que vc mantem sua criatividade a todo vapor! Entao seu marido eh assim, hein? Pois igual a ele, conheco varios! Eles nao tem mesmo muito sutileza pra falar e ainda acham que estao fazendo um favor, ne (o que algumas vezes eu ate concordo!!! rsrs).

    Beijos Lu e continue nos divertindo com suas historias! Vou tentar passar aqui mais vezes!

  10. quanto ao nick , adorei a sacoia!! que menino bem humorado!!!
    as fotos dele estao lindas adorei aquelas na agua!
    bjs e saudades de vcs

  11. Pingback: A incrível (e hereditária) sutileza masculina « Nicolando por aí

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 543 outros seguidores