O lado cômico da maternidade

No Canadá, Lu Azevedo fala da plenitude que é ser mãe – Entrevista Exclusiva

27 Comentários

Há pouco mais de um ano eu dei uma entrevista exclusiva e cheia de gramur pra Revista Caras. Pois agora, olha só quem me procurou? A Quem!

- Quem???

Pois é, foi exatamente essa minha reação.

Ah, outra coisa. O leitor assíduo talvez note que eles erraram ao transcrever minha idade. Não é 27, é 26 viu, gente? :)

Enjoy!

____________________________________________

*

Radiante com a chegada da caçula Lily, Luciana conta como é a vida de mãe no Canadá e sobre como perdeu os quilos após a gravidez.

A ilustradora e ex-geóloga Lu Azevedo (27) está vivendo um momento pleno em sua vida e revela com lágrimas de emoção como é maravilhoso ser mãe de Nicolas (3) e Lily (2 meses), frutos da feliz união com o geólogo Rafael (32). “Gerar vidas é uma espécie de milagre”, declara ela. Mas nem tudo são flores e ela conta que atualmente o marido tem viajado bastante a trabalho. “Essa é a parte mais difícil. Como a maioria das famílias daqui, também não temos empregada nem babá. Dar conta de tudo sozinha quando ele viaja tem sido meu maior desafio”, desabafa ela. “Minha sorte é que aqui já fiz grandes amigos que estão sempre tentando ajudar de alguma forma”.

>>De bem com o espelho

Apesar da correria, a ilustradora não descuida do visual. Usando um wrap dress preto, ela conta que o vestido-envelope é a melhor opção pra mulher que acabou de ter filho, pois além de facilitar a amamentação com o decote em “V”, ainda tem a vantagem de disfarçar a barriguinha que sobrou e valorizar a cintura. “Tenho sorte de já ter perdido quase todos os quilos que ganhei na gravidez. Os quilos à mais agora estão aqui e aqui ó”, conta ela aos risos apontando pra barriga e pros seios cheios de leite. Ela também garante que o grande segredo pra se perder peso além de amamentar, é não ter babá. “Não tenho outra opção senão viver correndo atrás do Nicolas”.

>> Mudança pro Canadá

Já no próximo mês de Maio a família completa dois anos que trocou o calor da Australia pelos invernos rigorosos do Canadá. “Mudar pro Canadá foi uma decisão totalmente pessoal, minha e do meu marido. A gente adora morar aqui. O clima é frio, mas as pessoas não, elas são super amigáveis e calorosas”, conta ela com entusiasmo lembrando que no dia que se mudaram os vizinhos bateram na porta trazendo um bolo caseiro de boas vindas. “Parecia coisa de filme”, comenta ela.

>> Como é ser mãe no Canadá

Luciana também conta, que bem diferente do Brasil, no Canadá não existe a cultura de se fazer lembrancinhas pras pessoas que vão visitar o bebê. “Aqui ninguém está preocupado com isso, o que é um grande alívio pra mim! Senão de onde eu iria tirar tempo pra fazer tanta coisa?”, completa ela bem humorada. Luciana também conta que uma prática muito comum na vizinhança onde mora são os amigos se oferecerem pra levar uma refeição nas primeiras semanas que a mulher tem o bebê. “Fiz uma sopa super nutritiva pra uma amiga que teve filho antes de mim e depois ela retribuiu com uma travessa de lasanha. Fiquei dois dias sem precisar cozinhar”, lembra com um sorriso.

Outra diferença marcante são os presentes. “Com o nascimento da Lily ganhamos vários livros, brinquedos e até roupas dos amigos que já tinham sido usadas pelos próprios filhos deles”, revela com admiração. “Achei muito legal, pois sou super a favor do consumo consciente. Pra que comprar tudo novo se as crianças crescem tão rápido? Não faz sentido”, completa. Luciana também conta que outra coisa que ela gostou, foi a forma considerada como muitas pessoas entregaram seus presentes. “Eles simplesmente deixavam o embrulho na nossa porta. Fizeram isso pra não incomodarem mãe e bebê. Achei super bacana”.

1. Mais alguma curiosidade de se ter filho no Canadá?

Uma coisa que ando reparando é que raramente encontro meninas com orelha furada aqui, sabe? Aliás, em geral é até difícil diferenciar meninas de meninos, pois além da falta do brinco, a maior parte das meninas pequenas daqui também não costumam usar muitos enfeites e babados. Várias vezes cheguei a perguntar qual é o nome “dele” e era menina.

2. A Lily não tem brinco. Você pensa em furar a orelha dela?

Não. Todo mundo fala que não dói, mas não sei… E tive tanto problema de inflamação na orelha mesmo usando brinco de ouro, que prefiro não arriscar. Acho também que não furaria a orelha dela somente em nome da estética e pra identificá-la como menina. Cada mãe sabe o que faz, mas eu não ligo muito pra isso. Prefiro colocar uma tiara, um lacinho, sei lá. E o brinco fica pra quando a Lily for maior e decidir que quer um.

3. E como é o sistema médico no Canadá?

Excelente! Só tem algumas peculiaridades… Aqui por exemplo, eles nunca entregam os resultados de exame diretamente ao paciente. Eu mesma não tenho nenhum dos exames que fiz durante minha gravidez e curiosamente, nem mesmo um ultrassom particular que eu decidi fazer por conta própria. Todos os resultados sempre foram encaminhados pra minha midwife (parteira). Outra diferença do Brasil, é que aqui ninguém consegue consulta com um médico especializado sem antes passar por um clínico geral (GP) e este aceitar encaminhar o paciente. Pediatra por exemplo, é coisa rara. Nenhuma criança tem acompanhamento mensal com pediatra como é no Brasil e muito menos se consegue o número do celular dele! O pediatra só entra em cena se a criança tiver uma condição médica que exija mais cuidados.

Eu, como decidi fazer meu pré-natal e parto com uma midwife, foi ela também que acompanhou a Lily nas primeiras 6 semanas de vida. E foi um acompanhamento mais que especial. Durante as duas primeiras semanas as consultas foram na minha casa e eu não tive que pagar nem um centavo por isso. Ela veio quantas vezes eu precisei, me deu total ajuda na amamentação, suporte emocional (afinal eu chorava sem nem saber porque…), pesava a Lily e tudo o mais que fosse necessário. Depois das 2 semanas, eu é que tinha que ir ao consultório dela. E depois de 6, as consultas passaram a ser mensais e com um clínico geral, no caso, nosso médico de família.

4. Sendo agora mãe de segunda viagem, foi mais fácil segurar um recém-nascido, dar banho e coisas assim?

Tudo é mais fácil, mas juro que achei que não fosse saber mais nada. (risos) Pensei isso porque uma semana antes da Lily nascer, passei a maior vergonha segurando o bebê de uma amiga de forma totalmente desajeitada. Mas rapidinho a gente aprende de novo. Agora pra dar banho, dessa vez foi totalmente diferente. Com o Nicolas, tive até que assistir vídeo na internet pra saber como segurar o bebê, (risos) já que não tinha ninguém pra me ajudar, mas desta vez uma enfermeira no hospital nos mostrou como fazem aqui. Por causa do frio, costumam enrolar o bebê todo na toalha e começam lavando o rosto e o cabelo com um paninho. Depois colocam o bebê na banheira, muitas vezes ainda enrolado na toalha pra não traumatizar. (risos) Eu fiz assim até pouco tempo atrás. Outra coisa é que aconselharam dar banho um dia sim outro não, pra não tirar a oleosidade natural e ressecar a pele do bebê. Sem falar que recém-nascido não fica sujo, né? Só fazer uma limpeza nas partes baixas e tá tudo bem.

5. E como o Nicolas tem lidado com a chegada da irmã?

No início, uma beleza, até mesmo quando minha mãe foi embora. Mas hoje em dia voltou a usar fraldas por estar tendo muitas escapadas de xixi e infelizmente tem ficado cada dia mais manhoso também, chorando por qualquer coisa. Tem sido desgastante, mas a gente sabe que é uma fase, que é normal e estamos fazendo de tudo pra ele se sentir querido e parte essencial da família.

About these ads

27 thoughts on “No Canadá, Lu Azevedo fala da plenitude que é ser mãe – Entrevista Exclusiva

  1. hahahahahaha Lu, vc não existeeee!! Quem lê seus posts eventualmente, acha que vc tem tempo sobrando para escrever posts tão interessantes e criativos assim!
    Adoooorooo!
    Adorei!!!

    Morri de rir!

    Adorei saber sobre o comportamento no Canadá, pediatra, vizinhos, comidas, essas coisas… adorei!

    Beijos enormes – comprei HOJE o presentinho!
    Vai pro Correio semana que vem!!! êêê!!!!

    Beijos enormes, querida amiga!

  2. Dani, eu levo em geral uma semana escrevendo um post! Um pouquinho a cada dia. Mas hoje aproveitei pra terminar esse quando o Rafa saiu pra passear com a cria. Ô beleza! :D

    Beijos e obrigada!!!

  3. Lu, me dicverti muito com esse post, é assim mesmo que eles esrevem né? Ah,estou tentando fazer seu pao, por isso entrei aqui, vamos ver se dá certo. beijos Andrea

    http://qmundo.wordpress.com/

  4. Amo esses posts onde “alguém” entrevista você, fico rindo sozinha :D
    Parabéns, com todos os perrengues q vc passa aí sozinha as crianças estão cada vez mais lindas!! Vc disse que pode ser que os olhinhos da Lily fiquem castanhos, mas não importa pois ela é linda de qquer jeito ;)
    Bjos :*

  5. Ótimo, Lu. E viva aos papais que aproveitam bem os filhotes – e liberam as mães – quando estão em casa! Olha, eu amo essa parte cultural alheia de respeitar os primeiros momentos da mãe com um RN. A gente precisa mesmo e nem toda visita sabe ser solícita e compreensiva. Lembro que quando meu primeiro filho nasceu (cesárea de urgência por causa da pré-eclâmpsia) teve gente que veio aqui em casa e perguntou se eu tinha um bolinho prá servir com café. Mereço?
    Bjo e que bom que está com o humor de volta! Se cuide, garota!

  6. Lu, super mega engracado! Achei que fosse de verdade! Voce realmente não existe! Olha, eu furei a orelha da elena com uns 2 meses. ela chorou porque precisa segurar, e crianca chora quando voce segura com forca. Mas te garanto que nao doi porque eu mesma fiz mais furos na orelha quando tava na faculdade e nao doi mesmo. O problema é que a elena arrancou os brincos. Arrancou um, troquei, pus outro, pus brinco com trava, mas ela arrancou todos. Resultado: os furos estão fechando, ela não deixa por brinco nem pra manter o furo furado. Desperdicio. Mas nao doi nao. Faz barulho, faz cocega, mas nao doi nao. Nao precisa esperar ficar adulta pra furar.
    Mas olha, que olhos profundos da Lily, hein? Será que vão ficar dessa cor pra sempre? (tomara tomara tomara)…

  7. Lu, você é uma graça… Amo as suas coisas e sua maneira tranquila de dizer tudo. um beijo grande.

  8. Lu, eu super achei, até o final, que tinha rolado uma entrevista, menina! Adorei a criatividade, a chiqueza no “úrtimo”, e as lindas fotos! Pôs Galisteu & Co no chinelo.
    Beijos

  9. ai para Lu! jura que não é de verdade né! eu tri emocionada aqui achando que era de verdade até ler os comentários! hehehe eu super adorei a entrevista (:
    viu, lili esta uma boneca!!!! e gostei de saber dos brincos, lembra que tinha perguntado? pois é, eu tbm sempre tive muita alergia!
    beijão!
    e to looooouca pra morar em Vancouver!

  10. Lu, não te aguento. Adorei! Beijo (e saudades!)

  11. Uma das melhores entrevistas dos últimos tempos da Revista Quem!!! rsrs
    Até porque as entrevistas da Quem são sempre muito rasas e a sua foi fantástica, esclarecendo bastante sobre a vida no Canadá e mãe de duas crias!
    Sua criatividade é incrível!
    E como você escreve bem, hein, mocinha?
    Seus filhos estão cada dia mais lindos! Um a cara do outro!
    E Lily dona de “deep blue eyes”… Linda!!!
    Beijo grande pra você, Lu!!!

    Bibi achou o máximo a forma que o canadense presenteia!!!

  12. Lu, adorei a entrevista! Achei super curioso a ideia de presentear com coisas aproveitáveis e de dar um auxílio pra nova mãe porque, vamo combinar, que a última coisa que uma mãe de recém nascido precisa é se preocupar em fazer lembrancinhas pra visitas ou cozinhar, como fazem algumas. A Lily está um espetáculo de beleza! Parabéns pela entrevista! E pela cria.

  13. Lu, como adoro teus posts, acho que nunca vou me cansar de dizer isso! E fico imaginando de onde tu consegue tirar tempo tendo dois filhos, sendo que uma é recém-nascida para ser tão criativa e escrever tão bem! Pena não ter descoberto teu blog durante a gravidez do Gui, porque aí por ter mais tempo, reviraria teu blog desde o início pra me deleitar com teus escritos. Agora começando tudo de novo por aqui vou ficar mais antenada nas tuas experiências de mãe de dois!
    Beijo enorme pra vocês!

  14. Lu, celebrity, me dá um autógrafo?
    Menina, ando querendo ir morar aí no Canadá! Atormento o marido noite e dia – que lugar maravilhoso de civilizado!
    Beijoca

  15. Queridas, muito obrigada pelos comentários e elogios dirigidos à minha pessoa. Fico toda boba. :)

    Bom, agora vcs me dão licença, que eu tenho varias revistas pra autografar ainda hoje. E também tenho que dar um alozinho pra aqueles repórteres e fãs lá fora, que pela quantidade de flashes são muitos!!! Oh wait! São relâmpagos…

    Anyway, beijos pra vcs! :)

  16. você é ótima.
    ótima, ótima

    bjocas

  17. haha adorei Lu!!
    mas realmente foi um post ótimo, com várias curiosidades de vida por ai..
    Tenho um casal de amigos que mora ai no Canadá há 5 anos, eles tb falam maravilhas dai..
    beijos

  18. Adorei seu blog!!!
    tenho um tbm conto nele o drama que passei na maternidade!!!
    Receitas de papinhas!!!
    tudo sobre o desenvolvimento de seu bebe!!!
    Quem quiser conhecer e dar uma força…
    Quem me seguir eu sigo tbm!!! abraço!!!!

  19. Menina, você entrou na filha de fazer filho bonito duas vezes, hein?! Os dois estão lindos! Bem parecidos um com o outro. Uma graça!

    E amei a ideia da revista Quem. hehehe A gente merece um dia de celebridade, nem que seja no faz de conta! :-)

    bjim

  20. adoro suas entrevistas!!

    beijos pra vocês

    E olha, adorei saber dos hábitos dos canadenses sobre visitação de recém-nascidos. Seria tão bom se importássemos hábitos bacanas assim. Adorei!

  21. Nossa Lu!! Fiquei impressionada com o seu post sobre como cuidar sozinha de duas crianças. Vc é uma guerreira mesmo, eu com uma só criança já ficava maluquinha quando ele era menorzinho, com duas acho que surtava de vez,rsrs E ainda num país diferente, com costumes diferentes, olha que vc tá de parabéns viu!!!! Vc é minha ídola, kkk
    Seus pequenos estão cada dia mais lindos, mais encantadores. Bjs e muitas felicidades prá todos vocês.

  22. lu, vou te responder, é que as coisas tao super confusas por aqui. beijo. enquanto isso, vai lendo os posts que vc nao leu!! :-)

  23. Ain que coisa mais fofa que essa familia eh. Lu, voce eh hilaria.

    Seus filhotes lindos como sempre. Parabens.

    bjnhos

  24. Oi, Lu! Quanto tempo! Levei um susto quando vim te visitar e vi que vc já era mãe de novo, de uma menina! Que máximo! Ela é lindíssima. Parabéns. Vc é ótima e me inspira muito! Como é q arruma tempo? Também virei mãe. É tudo de bom, né? Beijos, Ederlaine

  25. Que linda!
    Uma mãe real, assim como eu!!!!
    Obrigada, um grande abraço,
    Bia.

  26. Pingback: Matéria na Revista PEOPLE – Edição Especial «

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 537 outros seguidores