O lado cômico da maternidade


45 Comentários

Hoje ela faz 2 anos!

E completa com absoluta perícia e precisão, mais uma translação elíptica ao redor do sol. Sem cursinho na NASA, sem muito planejamento ou ponderação. Simplesmente foi lá e descreveu sua órbita.

Copérnico teria morrido de orgulho.

0À medida que essa menininha prodígio executava solstícios e equinócios, a comunidade científica observou com admiração o seu notável crescimento e desenvoltura perante a vida. Em apenas l ano sideral ela se tornou muito mais pitizenta confiante, teimosa persistente e insubordinada independente. Um sucesso!

Olha só que delícia é ter uma criancinha de 2 anos em casa!

  • Ela já se veste e calça sozinha.

1

  • É artista experimental nata. Adora explorar cores, materiais e é grande fã das grandes telas.

3

  • É super familiar com o penico e  insiste sempre em usá-lo.

9

  • Tem a mente aberta e não está nem aí pra quem a critica por levar uma vida de contradições.

2

  • Fala que nem uma matraquinha pobre na chuva, e apesar de todas as 467 novas palavras recém incorporadas ao seu vocabulário, sua preferida ainda é NÃO.

11

  • Faz questão de comer sozinha e o faz muito bem – exceto pela mania de virar a colher 180 graus pra baixo ao chegar com a comida na boca e  sua peculiar forma de comunicar que não quer mais. (Vale ressaltar que um estudo científico está sendo realizado pra explicar porque a quantidade de comida que termina no chão é sempre maior que a que estava no prato. Conto tudo se chegarem a uma explicação lógica).

8

  • Uns a chamam de intransigente e radical, eu prefiro considerá-la uma apaixonada por suas causas. Água no copo verde/rosa/azul, por exemplo? Um insulto!

5

  • É extremamente carinhosa e companheira.

4

  • Mas às vezes, incrivelmente independente e emancipada. Ah sim, e sempre destemida. Sempre.

10

  • Tem alma lúdica e suas brincadeiras preferidas dentro de casa são esconder (sempre com pelo menos 3/4 do corpo pra fora e de preferência nos mesmos dois lugares) e derrubar torres (do irmão, claro!).

2anos

  • É super prestativa e está sempre disposta a ajudar com a limpeza! (embora nunca  jogue pro mesmo time de quem está limpando.)

6

  • E como se não bastasse tanta qualidade, essa menininha esperta ainda é a dona do beijo mais molhado e gostoso do mundo! Dá pra acreditar na minha sorte?

13

Lily da mamãe,obrigada por trazer mais cor à nossa vida! Você me completa, me inspira, me diverte. Obrigada pelo seu sorriso aberto, pelo seu choro forte e saudável desde o dia que você nasceu , por me mostrar que posso amamentar, pelas musiquinhas que canta o dia todo com sua vozinha de fada, por chamar “mamãe” 678765 vezes por dia, por gostar tanto de me ouvir contando histórias, por gosta de escovar os dentes, por comer tão bem, por dormir tão bem, e tantas, tantas outras coisas.

Mas sobretudo, minha querida Lily, obrigada por ter me escolhido pra ser sua mãe. É uma honra pra mim poder segurar sua mãozinha e te conduzir pela vida. Te amo do fundo do meu coração!

Seja sempre feliz!


18 Comentários

The ‘incredible’ twos

O que seria de um blog materno se a mamãe não parasse de tempos em tempos pra exercer sua corujice e enaltecer as habilidades da cria, né? E sobre isso, falou muito bem a Kah neste post sobre o lamentável Campeonato de Bebês que acontece por aí. À medida que você lê o post, vai passando por uma montanha russa de sentimentos: primeiro começa achando graça, depois fica indignada, triste e totalmente sem fé na raça humana (tô contigo, Kah) até que termina suspirando e decidida a revelar ao mundo as proezas naturais do seu pequeno gênio…

E é exatamente o que eu vou fazer agora… No entanto, gostaria muito que o Nic  também ouvisse… Só que, cadê ele?

- Niiiiiicolas! Cadê vocêêê?

- Hi hi hi hi hi.

- Puxa, como ele esconde bem! Onde estará o menininho sapeca da mamãe? Será que tá dentro do guarda-roupa? Não… Atrás da porta? Também não… Debaixo da cama? Humm… não…

- Hi hi hi.

- Estaria ele atrás do sofá? Nossa, também não… Ou quem sabe… NICOLAS!!! Meudeusdocéu!!! Como você foi parar encima dessa estante, meu filho?

* * *

Outro dia eu ouvi falar que criança pequena é como um liquidificador, só que sem tampa. Pois precisa falar mais?

O Nic anda bem assim mesmo, cada vez mais intenso e dramático ao expressar suas emoções. Perfeito pra um papel mirim numa novelinha mexicana vespertina. Mas por outro lado, noto que ele tem sido muito mais quieto e concentrado em outras ocasiões: brinca cada vez mais sozinho, presta mais atenção nas estórias, encaixa pecinhas sem perder a paciência e assiste filmes infantis inteiros, atento do início ao fim – inclusive conseguindo prever o que está pra acontecer!

E como gosta de crianças mais velhas… É um magnetismo natural… Ele não pode ver uma daquelas criaturinhas de 5 anos toda cheia de si, que ele gruda e vai atrás imitando tudo o que ela faz. Como no dia da spidergirl, lembra? Mas isso só dura até o momento em que ele invariavelmente escuta um “leave me alone!” pra se afastar, mas ainda assim, continuar de longe admirando aquele modelo perfeito de auto-suficiência. Já as da mesma idade, esquece – é desprezo absoluto. Coloque ele numa sala com outros dez menininhos de dois anos, pra ver – tudo o que ele vai querer é brincar sozinho e ainda por cima sem emprestar nem mesmo aquele carrinho velho de roda quebrada.

Além dessas, Nic tem também outras particularidades: pra começar, odeia ficar sem camisa, mas tudo bem ficar sem calça. Faz greve de fome, mas jamais recusa brócolis, sem sal nem alho e a qualquer hora do dia. Ainda nem largou as fraldas, mas já quer autonomia total – o típico rebelde com fralda – e ao invés de pedir determinado objeto, simplesmente empurra uma cadeira, sobe e pega. *Estado de alerta total aqui em casa* – nada está completamente fora de seu alcance mais.

E nunca esteve tão volúvel e paradoxal… Num minuto quer tomar leite, no outro quer comer feijão, depois quer calçar sapato sozinho enquanto come biscoitos e no seguinte quer brincar de ser neném no colo da mamãe e tomar leite outra vez – o mesmíssimo que ele dispensou há três minutos atrás e o qual ele agora toma no copo sem jamais se lembrar que negócio mal-arrumado era aquele de usar mamadeira.

E fala pelos cotovelos.  Monta frases inteiras à sua maneira, narra tudo o que a gente faz, usa artigos e preposições, arrisca plurais, conversa sozinho com os carrinhos, pergunta e ele mesmo responde e até inventa novos verbos.

- Quéio mamãe facar a uva pro Nicoias. (=quero que a mamãe corte a uva pro Nicolas)

- Mamãe tá varrendo a blusa do papi. (=passando)

- Mamãe, quéio mais vai no parquinho. Agoia não, depois. (=quero ir no parquinho de novo. Agora não, depois. – ele mesmo responde).

- Qué papai vão brincar de carrinho com mim. (=quero que o papai brinque de carrinho comigo.)

- Não cabe não… o ômbusi é muito grande… (=ônibus)

- Eu também sentado na cadeira.

- Um, dois, quatro, seis rodas. O caminhão tem seis rodas, mamãe. (ele sabe contar até 10, mas adora contar de dois em dois)

:-)

E se por acaso, eu caio na bobeira de perguntar a ele “vamos dormir?” ou “vamos comer?” (ao invés perguntar “você quer dormir com o coelho ou com a Moey?” ou “quer comer arroz com frango ou com ovo?” a resposta agora é polida “não, não, obrigado”. E tenho que usar muitas e muitas artimanhas pra convencê-lo a fazer o que eu preciso que ele faça.

Quer ver só?

Então assista você mesmo ele recusando educadamente a soneca, depois me ignorando enquanto “lia” as instruções em um pacotinho de chá e no final eu aplicando o famoso Método de Psicologia Inversa (MPI) e seu resultado.

* * *

E é isso aí. Incrível é perceber que esse meu menininho que quer fazer tudo sozinho, que adora imitar o pai fazendo barba e sabe cantar várias músicas do Pé-com-pé, ainda adora colo, odeia escovar dentes e curte músicas de ninar pra dormir. Ah! e conserva as mãos gordinhas de neném – inclusive com furinhos!

* * *

PS1: E a vocês, minhas queridas, muito obrigada pelos comentários solidários no último post. O Rafa já voltou e as coisas aqui agora andam muito mais equilibradas!

PS2: Estou adorando esse amigo secreto blogosférico! A gente tirou um (a) amiguinho (a) que é a coisa mais linda desse mundo! E quem nos tirou já mandou um recadinho e está caprichando no suspense!!! Ai meu deus, quanta curiosidade de saber quem é!!!


21 Comentários

Dois anos de Nicolas

Era uma bonita e ensolarada manhã de domingo!

(que não foi nada aproveitada porque todo mundo dormiu até tarde)

O aniversariante acordou cantando, brincou de pula-pula na cama da mamãe e do papai, correu na hora de trocar a fralda, só quis saber de vitamina de fruta pro café da manhã, não aceitou tirar o pijama e foi correndo explorar o aguardado presente de aniversário.

Mamãe e papai foram terminar os preparativos pra festinha que aconteceria logo mais à tarde, em clima de haloween… Penduraram os desenhos que ela fez na parede, colaram as letras do nome do aniversariante e arrumaram a mesa. Mamãe foi terminar de enfeitar o bolo de chocolate que ela tinha feito no dia anterior e preparou uma deliciosa salada de frutas pra comer com sorvete.

De repente, quem é que chega? A tia Eva e o tio Luís, os queridos amigos da mamãe e do papai que vieram láááá do Brasil. O aniversariante então, aproveitou pra comer pretzels (que ninguém sabia que ele gostava tanto), tomar muito suco, comer o sorvete da salada de frutas e brincar com a Eva, que inclusive já tinha visitado ele láááá na Austrália uma vez. Todos estavam também esperando o amiguinho Davi, mas por causa de um super mal entendido realmente difícil de entender ele não veio e todo mundo sentiu muito a falta dele.

Mas daí todo mundo se divertiu muito com os cartazes que a mamãe inventou. Ela sempre sonhou em fazer uma festinha do Pequeno Principe e vestir o aniversariante com casaco comprido, botinha e tudo mais, mas como ainda não foi desta vez, pelo menos o cartaz ela quis fazer. E não, esse não é o desenho do Napoleão. Não, o cabelo do aniversariante não está em chamas. Isso mesmo! Esse é o desenho do Pequeno Príncipe e o aniversariante adorou!…(viu??) E fez carinha séria, engraçadinha e claro, bizarrinha.

E como não podia deixar de ser, nesta festinha nem adulto foi poupado…

E brincaram e se divertiram como um bando de crianças, até que chegou a hora dos parabéns. O aniversariante bateu muitas palmas, ajudou a cantar, dançou encima da cadeira, mas gostou especialmente de soprar as velinhas. Ele soprou várias e várias vezes (apesar de nenhuma ter sido muito efetiva, mas cá pra nós, pra que serve a mamãe nestas horas, né?).

E assim, a festinha foi um sucesso. Pequena, simples, mas de coração.

E você aí, aceita um bolinho?

Bolo de chocolate com recheio de doce de leite (desfalcado devido a um tal dedinho gordinho que passou ali), cobertura de brigadeiro com granulado e enfeitado com jujubas de little pumpkins.

Feliz aniversário querido Nicolas! Mamãe e papai amam você!


21 Comentários

Exclusivo Castelo de Caras

Oi gente!

Olha, a culpa não foi minha por ter demorado tanto a postar fotos da nossa viagem ao Brasil, e sim da Caras, que enrolou horrores pra publicar a matéria com a gente.

Mas enfim, está aí! Deleitem-se!

* * *

Exclusivo Castelo de Caras: Luciana, em total estado de felicidade e plenitude, conta como foram suas férias no Brasil com a família

Após seis anos morando no exterior, Luciana (25) revela que o que mais sente falta ao morar fora é da companhia da família e dos amigos, principalmente depois do nascimento do Nicolas (2), fruto do feliz casamento com o geólogo Rafael Gradim (31). “Foi muito bom rever todo mundo. O coração já estava apertado de tanta saudade e o Nicolas se sentiu mais feliz e à vontade que nunca!” conta ela cheia de entusiasmo.

E tanta alegria tem explicação. Pra começar, a pequena família foi recebida com muita festa e cartazes dizendo “Hooray! Que bom que vocês chegaram!” no aeroporto de Confins em Belo Horizonte, cidade natal do casal. “A gente não esperava ver as nossas duas famílias lá. Eles esperaram 4 horas, pois perdemos o vôo pra BH e minha mãe até perdeu um dia de trabalho. A chegada foi com certeza um momento emocionante da viagem”, recorda Luciana, que apesar da agenda social apertada também aproveitou pra relaxar. “Uma das partes mais difíceis de se ficar só um mês no Brasil é que a gente nunca passa muito tempo com todo mundo e os dias têm que ser todos programados” desabafa ela. “E por causa disso, a gente procura sempre fazer passeios relaxantes e que envolvam um grupo maior de pessoas.”

Um desses passeios incluiu sua melhor amiga, a empresária Simone (25), que há dois meses deu a luz ao Yann, fruto de seu relacionamento com o artista Rodrigo (33). “A Si é uma pessoa linda e adorei visitar o parque Vale Verde com ela. A gente quase conseguiu colocar o papo em dia (risos)” diz Luciana, bem humorada. “Também foi lindo ver o Nicolas interagindo com ela e a chamando de Money”, revela a mamãe coruja.

Além deste parque, ela conta que também visitou o Inhotim, um dos maiores museus de arte contemporânea ao ar livre do mundo “Eu amo arte, um bom papo e caminhar em meio à natureza, e esse passeio nos ofereceu tudo isso. Além disso, tivemos a honra de sermos guiados por minha talentosa prima” diz Luciana referindo-se à artista plástica Esther Azevedo (22). “Foi um grupo bem grande de pessoas e nos divertimos à beça! Só tivemos que tomar cuidado com o sol, claro, que estava muito forte” acrescenta a mineirinha, que nunca deixa de cuidar da sua pele.

 

Helô, Dodôra, Vovó São, Lu, Bel-de-Bel, Marília, Ana, Rei, Patti, Nic. Fotos tirada por Esther.

 

Qual a sua receita pra manter esta pele sempre jovem?

- (risos) Não faço nada de mais, tenho a sorte de ter a pele mais oleosa. Mas de uma coisa que nunca abro mão é do meu protetor solar Clinique Sun.

- Essa foi a primeira vez que vocês visitaram o Brasil com o Nicolas?

- Não, na primeira vez ainda morávamos na Austrália e ele estava muito pequeno, só tinha 5 meses.

- Como foi a reação dele diante de tantas pessoas diferentes? Ele estranhou muito?

- Não estranhou nada, ele amou todo mundo e foi ótimo pra ele saber que também é amado por tanta gente. Só nos primeiros dias que ele estranhou um pouco as mulheres (risos) e ele só aceitava ir no colo dos homens. Mas isso passou logo e em poucos dias ele já estava abraçando tudo mundo.

- Como foi dividir o tempo de vocês entre as duas famílias? Houve muita disputa pra ficar com o netinho?

- Não, foi tudo muito harmonioso. Desta vez a gente resolveu passar metade dos dias com a família do Rafa e metade com a minha. Elas não moram muito longe uma da outra, mas isso evitou que passássemos os dias indo e vindo de uma casa pra outra e deu tempo do Nicolas se acostumar com cada uma e cada ambiente.

- E também sobrou tempo pra todos os amigos?

- Claro! (risos) Primeiro tivemos um encontro sen-sa-ci-o-nal na casa da nossa querida amiga Barol, que inclusive é cozinheira de mão cheia. E lá, além de comermos muito (risos), também tivemos a oportunidade de rever vários amigos gente-boa da geologia; além de conhecer o Rodrigo, novo relacionamento da Barol e a doce Maitê, filha dos fofos Taís, que escreve o blog Tudo de Bombom, e Cassemiro.

 

À esquerda: Lu, Barol, Taís, Maitê. À direita: Tripa, Diogo, Rafa, Nic, Mateus, Cassemiro, Sérgio, Branco

 

- E houveram mais outros encontros?

- Ah, sim. Também promovemos um com pizzas caseiras na casa da minha sogra, que foi ótimo! Lá tivemos o prestígio da presença dos irreverentes Podrões -  grandes amigos do meu marido, acompanhados de suas esposas, a amiga Ignez, as queridas Si e Eline com as famílias, os inteligentíssimos Sérgio Túlio e doutora Rosa, além do escritor e roteirista Gui Lessa e do perito Maurício Cachinhos. E depois disso também recebemos a visita da adorável Anita com os pais dela. Foram encontros memoráveis!

 

Simone, Lu, Eline. Ao fundo: Stela e Ignez

 

 

Aylton, Gui, Rafa, Nic, Maurício

 

 

Sérgio, Rafa, Lu, Dra. Rosa

 

- E o Nicolas aprendeu muito com a convivência com tantas pessoas?

- Ô, claro! Primeiro, aprendeu que é ótimo ser o centro das atenções. As pessoas não paravam de pedir a ele pra fazer a voz de monstrinho, que ele mesmo inventou, e cantar as várias musiquinhas que ele aprendeu lá. Além disso, ele agora aprendeu a falar “Ai, meu Deus do céu! Puxa vida! Nossa Senhora! e Ai, tadinho…” (risos) Só no Brasil mesmo pra aprender todas essas coisas!

- Ele se comportou bem em todos os eventos?

- Quase todos (risos). A gente foi pro Brasil nesta época principalmente por causa do casamento da Fabiana, irmã do Rafa, com o Bruno. O Nicolas seria um dos pagens, mas infelizmente coincidiu com a hora dele dormir e tivemos que levá-lo embora logo após a entrada da noiva, que por sinal, estava encantadora…

- Então vocês perderam a festa do casamento?

- Não, felizmente ele aceitou bem a companhia da Sueli, e a gente conseguiu voltar. Foi nossa primeira grande festa desde que o Nicolas nasceu!

- E no geral, você lembra de alguma história engraçada pra contar?

- Agora só me lembro de uma na casa da minha tia Rita… Lá tem um ninho de passarinhos com dois filhotes que o Nicolas ficou encantado e toda hora pedia pra ver. Daí um dia, minha tia Tereza com a Thais foram nos visitar. A gente tirou a foto delas com o Nic, mas ele não olhou pra câmera, então minha tia disse “Olha o passarinho, Nicolas!”. Com isso, ele imediatamente se levantou e saiu correndo lá pra fora pra ver o passarinho de verdade… (risos).

 

Taís, Nicolas, tia Tereza

 

- E quais foram outros grandes momentos dessas férias?

- Ah… além de todos que eu já mencionei, sem dúvida o dia que levamos o Nicolas ao parque de diversões, o noivado do meu irmão com a divertida Ana, ver todos os adultos dançando a Galinha Pintadinha com o Nic, a primeira briga do Nicolas de rolar no chão que aconteceu com a priminha Babi por causa de uma mochila (risos), a ida ao parque pra alimentar os patinhos, a paciência do priminho Dudu pra brincar com ele toda hora, o Nic tentando tirar a tatuagem da Patti com uma escova (risos), a visita pra conhecer o fofinho do Yann, o colinho das vovós, titias e da dindinha que não tem igual, as brincadeiras com o tio Nael e a tia Cátia e o mais emocionante de todos, o apego do Nic com o tio Toninho, quem costumava evitar todo e qualquer contato físico e desta vez até carregou o Nic no colo…

 

Diversão pra criança ou... pros adultos? Nas fotos: Patti, Lu, Ana, Rei, Nic, Babi, Dudu

 

 

Vovó São cozinhando ao fundo, Nicolas tirando a tatoo da dinda

 

 

Nic com vovó Stela e tia Marcela

 

 

Rafa, Si, Yann, Lu

 

 

Nicolas com o tio Toninho

 

- Então foi tudo perfeito não é? Houve alguma coisa que vocês não gostaram?

- A única coisa é que descobrimos que o Nicolas é suuuuuper alérgico a picada de insetos, e o que não falta no Brasil são pernilongos. A gente teve que tomar várias medidas pra ele não ser picado, mas mesmo assim não conseguimos evitar sempre e teve dias que ele estava com a carinha toda inchada e muito incomodado com a coceira. E outra coisa chata foi o fato do Rafa ter que voltar pro trabalho após duas semanas de férias. A gente já sabia, mas não deixa de ser chato…

- E como foi a volta à rotina em Vancouver?

- Sem problema. O Nic já está tão acostumado a viajar que não tem mais problemas com fuso horário, e o sono dele até melhorou desde que voltamos. Só uma coisa a gente não se acostuma tão fácil… a falta do calor humano e da presença das pessoas que amamos… Outro dia mesmo, estávamos conversando com minha família no Skype e o Nic pedia o colo da dindinha e da vovó… Essa é a parte mais difícil de se morar fora, sem dúvida…

* * *

Bacana a matéria, né gente? E eles gostaram tanto de me entrevistar que até pediram pra cobrir a festinha de aniversário do Nic, que aconteceu ontem. Mas ó, vou contar pr’ocês: o cachê não é lá grandes coisas não, viu? E acredita que eles só me serviram um suquinho aguado na entrevista no castelo? Sem falar que esse negócio de ficar contando a idade da gente pra todo mundo tá por fora… Bom, tudo bem que eu só tenho 25 e não tenho problema com essas coisas, mas tem gente que não gosta, né? Então achei melhor recusar…

Assim, no próximo post, eu mesma volto pra contar como foi a comemoração dos dois aninhos do Nic, tá? Me aguardem!

::

Posts relacionados:

Todo mundo de cara nova… inclusive o blog!

Falando em nomes… e o nome do ganhador?

A viagem ao Brasil – com glossário


22 Comentários

Semana Master do Nicolas

Toda família tem suas tradições, né? Sejam elas grandes ou pequenas…

Pois aqui em casa, tirando a tradição de assistir filme comendo sorvete com Nutella, posso dizer que nossa real tradiçãozona mesmo (e que já dura quase 10 anos) é realizar a Semana Master a cada aniversário.

É simples e funciona assim:  durante cada um dos 7 dias que precedem o dia de seu aniversário, o aniversariante em questão tem direito a todo o tipo de regalias, passeios especiais e comidinhas preferidas servidas sempre com pontualidade.

É também neste período que o contemplado tem todas as suas más atitudes (palavras impensadas, chiliques, ceninhas, choro excessivo e birras) completamente relevadas; quando lhe é conferido o direito a banhos demorados (com ou sem o pato Quá-quá), de se recusar a fazer qualquer tarefa doméstica (versão adulta) ou de comer toda a comida (versão infantil), de passar o tempo que quiser na frente da TV assistindo o que bem entender (versão adulta) ou brincando no parquinho (versão infantil) e de comer o quanto quiser de sorvete com Nutella sem ser repreendido (tá bom, mentira, isso ainda não tá liberado pra você, Nic!).

E durante toda a Semana Master, os demais componentes da família deverão mostrar toda a boa vontade possível e tratar o aniversariante com simpatia, respeito e cortesia, afinal “é a Semana Master dele e um dia a sua também chegará”.

E é nesse espírito de união e amor que no momento celebramos a Semana Master do Nicolas, que por incluir também o dia das crianças, teve sua semana extraordinariamente estendida. Assim, ao invés de ter sido iniciada na segunda, como reza a tradição, começou no último sábado.

E ainda na sexta à noite, com o intuito de proporcionar o melhor pra esta Semana tão especial do Nicolas, o papi resolveu jogar na Loteria pela primeira vez na sua vida. Tudo isso, porque na véspera sonhou que tinha ganhado 7 milhões e como ele nunca sonha com essas coisas e a gente nunca joga, decidimos que era chegada a hora de arriscar. E pra nossa grande surpresa, constatamos que esse negócio de Loteria hoje em dia é tudo digital né gente? Você escolhe os números (ou pede a seleção randômica), paga com o cartão de crédito e recebe uma notificação por email se ganhar. Há! Claro que a gente não ganhou, mas mesmo assim não perdemos o entusiasmo pra dar seguimento às atividades da Semana Master.

E apesar do Nic ainda não dar bola nenhuma pro conceito por trás de cada experimento, ele se divertiu bastante no Museu de Ciência de Vancouver (Science World). Foi ótimo, porque tudo lá foi feito pra tocar e por isso ele ficou super à vontade o tempo todo. Tá bom, mentira, porque a gente também aproveitou pra ver aquela exposição famosa daquele alemão que exibe cortes reais do corpo humano, sabe? Pois é, sen-sa-ci-o-nal! Mas lá ninguém pode tocar nada, nada… aliás, nem foto podemos tirar, mas dá pra ver uma amostra aqui.

Representação do lixo da cidade, na sessão sobre reciclagem e desperdício. E por dentro passa um escorregador de verdade, representando o esgoto.

E olha a gente aí brincando de esgoto! :-)

E no domingo, comemoramos o Thanksgiving (dia de Ação de Graças) que eu sempre assisti nos seriados americanos (e no desenho do Snoopy, haha) mas foi a primeira vez que eu participei. Tradicionalmente, esse é o dia que as famílias se reúnem pra agradecer o fim da colheita com o início do outono. Daí fizemos peru (bom, uma parte né, porque inteiro é coisa demais pra gente!) e uma torta de maçã deliciosa! A receita, eu peguei da Ana Mochileira aqui, que também é tradição da família dela. Bom, a minha não ficou tão bonita, mas que ficou boa, ficou! Valeu Ana!

E agora vou lá, que hoje prometi parquinho pro Nicolas até ele cansar. Tadinha de mim, que se bobear vou ter que ficar com ele lá até amanhã, já que não existe esse negócio de menino cansar de brincar. Mas como é a Semana Master dele e eu tenho o dever de fazer tudo e de bom grado, não dá pra discutir.

Beijos pra todo mundo e até o dia que o Nic me liberar de novo!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 515 outros seguidores