O lado cômico da maternidade

Terceira parada: Shark Bay (parte 1)

2 Comentários

Apesar da paisagem monótona, a viagem até chegar em Shark Bay não podia ter sido mais descontraída. O Nicolas estava super bem humorado e a cada minuto adicionava mais uma palavra ao nicolês e ele próprio rachava de rir da sonoridade de cada invenção. Puá-puí! Puá-pití! Pitiá-pitiá! Tsé-tsé! Ápo! Babú! Entendeu alguma coisa? Nem eu. Mas com certeza pra ele faz o maior sentido, pois até hoje vive repetindo essas mesmas palavras, principalmente quando está brincando sozinho.
Além disso, também nos divertimos cantando suas músicas preferidas, que ele inclusive já sabe pedir. Quando ele fala “iá, iá, iá!” quer dizer “Old MacDonald had a farm, ya-yay-oh”, “bábábá” é a música da ovelha com seus sacos de lã, e quando ele põe as mãozinhas pra cima agitando os dedinhos é “Twinkle, twinke little star”. Tá vendo? Pra quem só sabia o “Sapo não lava o pé”, dá até pra dizer que meu repertório de músicas deslanchou né? 🙂

Imagem de satélite de Shark Bay mostrando Denham, onde ficamos (estrela vermelha) e Monkey Mia (amarela).

E foi assim, que entre um puá-puí e um bábábá, chegamos a Shark Bay (ou Baía dos Tubarões). Shark Bay é o ponto mais ocidental da Australia, considerado Patrimônio da Humanidade pelo seu ecossistema único que preserva águas hipersalinas com “fósseis vivos” (estromatólitos), o maior manto de ervas marinhas do mundo (seagrass), além de tubarões, golfinhos, tartarugas, centenas de espécies de peixes e alguns mamíferos raros.   

Nossa primeira missão era promover o encontro do Nicolas com os golfinhos. Eles costumam visitar a praia em Monkey Mia, a 20km de onde estávamos hospedados, todos os dias pra serem alimentados. Mas diferente dos pelicanos em Kalbarri, seus horários são totalmente imprevisíveis e infelizmente nos desencontramos todas as vezes que tentamos.    

Assim, resolvemos pegar um tour de barco no dia seguinte, que segue a usual rota deles em alto mar. A primeira parte do passeio foi bem interessante, pois visitamos uma estação marinha de cultivo de pérolas. E enquanto ouvíamos a explicação, o Nicolas se distraia fazendo barulho (oops!) batendo numas bolas de isopor que encontrou por lá… Depois vimos os amigos golfinhos, um aqui outro lá, mas não conseguimos nenhuma foto muito nítida. O Nic, que estava com sono nessa hora e foi dormir, não viu nada…   

    

De volta pra terra, tinha muita coisa pra fazer, mas a maior parte com acesso somente com 4×4 (não era o nosso caso). Então fizemos o básico: conhecemos o aquário de tubarões da reserva marinha (com parada pra comer a comidinha da mamãe – que ainda precisa ser levemente triturada…),  

  

 e algumas praias e rios nos arredores. Ou simplesmente aproveitamos pra relaxar na pousada… 

Pousada onde ficamos

Denham - a cidadezinha de Shark Bay

  

 Mas a parte mais emocionante, vai ter que ficar pro próximo post (sorry), que foi o voo panorâmico, a visita aos impressionantes “fósseis vivos” e à praia de conchas. Prometo escrever o próximo post mais rápido!  

Anúncios

2 pensamentos sobre “Terceira parada: Shark Bay (parte 1)

  1. Lu, que viagem!!!
    As paisagens são maravilhosas e imagino como deve ter sido uma experiência única uma aventura dessas com um bebê a tira colo. Depois quero dicas de como você distraiu o pequeno durante a viagem.

    Bjinhos

    Lu e Felipe

  2. Pingback: 14 meses nicolando… e andando! « Nicolando por aí

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s