O lado cômico da maternidade

Foi ao dentista, largou a chupeta e se amarrou numa massagem

16 Comentários

Eu vou contar três fatos sobre o Nicolas (na verdade alguns têm mais à ver com decisões que tomamos pra ele, mas tudo bem):

1º. Nunca gostou de massagem. Bom, pra começar, nos primeiros meses eu nem sequer conseguia encontrar o momento ideal pra fazer uma massagem nele. Isso porque shantala não deve ser feita quando o bebê está com fome, nem com barriga cheia, nem com sono, ou chorando. Pois sobrava algum espaço aí? Eu não conseguia encontrar.

Mas daí ele foi crescendo e os momentos foram aparecendo. O meu preferido era depois do banho, antes de dormir. Eu abaixava a luz, passava creminho, colocava a cabeça dele mais alta num travesseiro pro refluxo não incomodar… mas, ele só sabia chorar. Não tinha toque de borboleta que o acalmasse, e o momento que deveria ser relaxante era puro stress, então pensei que talvez massagem não fosse o lance dele e parei.

2º. Sempre usou chupeta. Eu sabia muito bem que chupeta é um condicionamento desnecessário que nós, pais, criamos pros nossos filhos e que no final das contas quem mais sofre pra perdê-lo são eles. Injusto né, e por isso mesmo decidimos que chupeta lá em casa não passaria nem perto… Bom, isso até o Nicolas nascer, ter muita dificuldade de dormir e mamar, e chorar muito. Por total falta de experiência pra pensar em outras alternativas, pensamos que talvez o que estivesse faltando fosse a dita-cuja.

Depois, viemos a descobrir que o que o incomodava mesmo era um negócio chamado refluxo. Então veio o doutor e disse que a chupeta era até muito bem vinda nesse caso, já que aumentava a produção de saliva e ajudava a combater a acidez. Amparados por essas palavras, e de consciência mais limpa, seguimos com a chupeta, apesar de sempre atentos ao melhor momento de tirá-la. No entanto, com o passar do tempo, a danada foi se tornando cada vez mais nossa aliada pra fazê-lo dormir, nas viagens de carro e avião, e assim o momento ideal de tira-la parecia estar cada vez mais distante…     

3º. Aos 18 meses de idade nunca tinha ido ao dentista. Apesar de todas as recomendações de levar os bebês ao dentista ao sair o primeiro dente, ou ao menos, ao completarem um ano, a gente decidiu adiar essa visitinha ao máximo. Eu previa um desastre, considerando o malabarismo que eu tenho que fazer pra conseguir escovar seus dentinhos todos os dias e sem falar no comportamento dele até mesmo pra cortar o cabelo – imagina se no dentista seria diferente…, eu pensava. Além disso, achei $170.00, um valor alto demais pra pagar pra ver. Então me agarrei com a Fadinha do Dente e pedi pra que ela protegesse os dentinhos dele até ele crescer só um pouquinho mais.

* * *

Bom, no final das contas, viemos pro Canadá e tínhamos que conseguir um dentista de família de qualquer forma. “Obrigada, Fadinha, mas o momento já chegou”.  

Acontece, que criança tem mesmo o poder de nos surpreender, né? Sempre! Coisa linda, isso… Não é que a gente foi nesse doce de dentista (dentista não deveria ser tão doce, mas essa é), que com suas luvas alaranjadas e toques delicados, conseguiu com que o Nicolas abrisse o maior bocão e ainda ficasse lá deitado super quietinho e FELIZ? E não fechou a boca nem quando ela terminou de olhar tudo! Surpreendente…  

Ela contou que os dentinhos dele estão de um branco alvo e perfeição jamais vistos super bem cuidados, MAS… que a arcada superior dava leves sinais de arqueamento. “Ele chupa dedo?” – ela me perguntou.

– Não, chupeta. Mas já tá parando.

E assim foi. Chegamos em casa e eu imediatamente escondi a chupeta. Nem pensei no que iria dizer pra ele. Na hora da soneca ele então me pediu. “Bico, mami.” (aqui em casa a gente chama de bico). Então eu falei a primeira coisa que me veio à cabeça e que eu sabia que ele entenderia “o cachorro comeu o bico” (a gente tinha acabado de brincar com uns cachorros no parque). Ele resmungou um pouco, pediu mais algumas vezes, mas dormiu. Também dormiu bem à noite nesse mesmo dia. No segundo dia é que acho que a ficha dele caiu e ele se deu conta que realmente não teria mais chupeta e chorou muito na hora de dormir. Foi uma hora e meia falando “cadê bico? Cadê bico?”. Fechava os olhinhos, mas não conseguia dormir.

Então ocorreu o inesperado. Instintivamente eu e o Rafa começamos a fazer massagem nele, cada um num bracinho e ele… AMOU. Ficou super relaxado e tinha momentos que até fechava os olhinhos. Depois disso, dormiu super bem.

E desse dia em diante, ocorreu a mágica inversão. O uso da chupeta deu lugar à massagem. Um conforto de melhor qualidade, que aproxima a gente e que não estraga os dentes!

“Maaaaaami! Paaaaapi! Mais massagem!”

* * *

Em tempo, um recadinho pra outras mamães:

– a facilidade de tirar a chupeta do Nicolas foi um caso em um milhão. Na maioria das vezes o processo envolve muito choro, sofrimento e noites mal dormidas, por isso, pense com carinho antes de oferecer chupeta ao seu bebê.

– eu tive o exemplo da minha irmã, que só foi largar a chupeta com 3 anos de idade, mas que mesmo assim teve sua dentição intacta. Por isso, no fundo eu pensava que chupeta talvez nem fosse tão prejudicial como todos sempre diziam. Agora, com o caso do Nicolas, sei que o efeito delas existe sim, e que o fato dele chupar a ortodôntica e só pra dormir também não ajudaram em nada.

– se seu filho já usa chupeta, não faça como eu e espere os primeiros sinais negativos do seu uso. Comece a tirá-la o mais rápido possível, e uma vez tomada a decisão jamais volte atrás.

Anúncios

16 pensamentos sobre “Foi ao dentista, largou a chupeta e se amarrou numa massagem

  1. Ei Lu! Venho acompanhando sua saga e admirando sua coragem de comecar tudo de novo em outro pais, mas tava sem tempo de comentar. Ja vi q vcs estao tirando tudo de letra! Impressionante como q em meio a toda adaptacao vc ainda conseguiu tirar a chupeta do Nic, e sem muito fuss!!! Que grande vitoria, lu! Tb gostei da sua determinacao de nao esperar nem mais um dia sequer.

    Qto a massagem, confesso que tb tinha dificuldade em encontrar o momento apropriado. Mas depois meu francisco amava. Fico feliz que o nic tenha encontrado na massagem um substituto pra chupeta. Muito mais saudavel ne?
    Entao beijos lu! Me inspirei em vc e vou marcar um dentista pro francisco tb!

    • Ei Cathie, vou te confessar que tem que ter coragem pra começar tudo de novo mesmo, viu? Mas as coisas estao caminhando muito bem e estamos felizes com nossa decisao. E agora, ainda mais com a vitoria do Nicolas (nao nossa!) de largar a chupeta. Me da um orgulho danado de pensar que ele era tao, mas tao apegado a essa chupeta e quase que de um dia pro outro ja a esqueceu. Bom menino… Muitos beijos pra vc!

  2. Olá
    adorei seu blog!
    super sorte com a chupeta. Isaac está cada vez mais apegado!
    estou te linkando!
    bjo bjo
    carol
    http://viajandonamaternidade.blogspot.com

  3. É Lu, estamos kit’s então. *rsss
    Olha; os meus nunca usaram chupeta nem mamadeira. E no que se trata de massagem…
    Bom, sempre depois do último banho do dia e antes de vestir o pijama eu escuto:
    -Mamãe; faz massagi!
    E o detalhe é que eles já vêm com o potinho de creme nas mãos.
    E quanto ao dentista… Já faz mais de seis meses que não vamos lá. Bem lembrado.
    Bjim.

  4. Lu, nao to acreditando que o Nicolas tenha largado o bico tao rapido (eu tambem falo bico). Que sorte, menina! O meu mais velho demorou meses pra largar, principalmente porque ele tinha muitos espalhados pela casa. Eu achava que ja tinha aniquilado com todos, mas dai ele encontrava um naquele cantinho da cama e voltava tudo de novo. Qdo finalmente ele largou, entrou pra escolinha e começou a roubar o bico dos coleguinhas. Foi bem dificil mesmo. Ja com o segundo, foi totalmente diferente e nunca quis, desde o inicio (esperto esse!).

    Beijos e bem lembrado sobre o dentista… Beijos!

  5. Nossa, to passando por aqui pela primeira vez e adorei seu blog! Vc escreve muito bem e vivencia tanta coisa bacana… Escuta, esses desenhos ai na lateral sao seus? Fiquei babando, grande talento!

    Adorei ler sobre sua experiencia em tirar a chupeta do teu filho. O meu tem 15 meses e tambem chupa. Ja tentei tirar algumas vezes, mas nunca com determinacao. Sempre que ele chorava demais eu acabava dando de novo. Mas vc me inspirou e vou tentar pra valer agora, pois sei que realmente nao faz bem.

    Um abraco e vou voltar mais vezes! Ju

  6. Rá, rá! Pedindo mais massagem é otima! Lindo imaginar ele todo molinho disfrutando uma massagem…

    E inspirador seu relato da despedida da chupeta! Nao tinha pensando em dizer que o cachorro tinha comido. Vou tentar essa, ja que minha Joana ja tem 2 anos e ama sua chupeta… Pena que a troca pela massagem nao vai dar certo, ja que ela sempre gostou de uma, desde pequena. Mas de qualquer forma, gostei da dica.

    Um abraço da Clara e da Joana

  7. Nossa, não gosto nem de pensar no dia que o Theo terá de se despedir da amada chupeta dele… Um super parabéns pro Nicolas 🙂

  8. Olá Pessoal,

    não pude deixar de passar por aqui pra dizer que o Nicolas não poderia ser primo de mais ninguém qu não o famoso Eduardo que com seu gosto surpreendente por massagem chega a implorar a qualquer um a qualquer momento, até mesmo em um carro em movimento, que lhe façam uma massagem, pode ser no pé, nos braços, nas costas, suave ou com força. Enfim, acho que o Nic segue com muitos encantos , alguns bem parecidos com seu priminho (ou devo dizer, primão?)
    Bjos,
    Saudades

    • Ei Tia fafa! Que bonitinho… Nao sabia dessa faceta do Dudu nao! Entao nao tem como enganar, sao priminhos mesmo!!! Beijos pra vcs

  9. Meu filho tem 3 anos e não larga a chupeta, eu nãi sei o que faço os dentinhos já estão arqueados, mais ele só dorme de chupeta, o que eu fãço?

    • Oi Joseane,

      Olha, eu não sou nenhuma especialista no assunto… A unica experiencia que eu tive foi com o Nicolas, que era SUPER apegado à chupeta e eu achei que seria muito dificil faze-lo largar. Mas não foi, pra minha surpresa. Mas pra isso eu tive que tentar e ser firme. No dia que eu decidi tirar a chupeta dele, eu sabia no meu intimo que independente da reação dele eu não iria voltar atras, pois seria pro bem dele.

      E uma vez que seu filho tem 3 anos, acredito que ele ja tenha um bom entendimento das coisas. Eu tenho algumas ideias…
      -Ele tem um personagem preferido? Fala pra ele que esse personagem vai vir buscar a chupeta dele. Aproveita um momento que ele está distraido e deixa um presentinho que ele queira muito no lugar.
      -Ou então negocia diretamente, oferecendo um brinquedo bacana em troca da chupeta.
      -Ou faça com eu e diga que um cachorro, ou qualquer outro animal ou ser, pegou a chupeta e comeu e agora não tem mais chupeta.

      Não sei… acho que nessa idade da pra apelar pra imaginação, pra fantasia… E espere noites dificieis, com muito choro no inicio, mas acredito que com o passar dos dias ele vai acabar entendendo que não vai mesmo ter a chupeta e num belo dia ele vai dormir tranquilo sem ela. Mas nao deixe passar muito tempo, pois esse arqueamento dos dentinhos de leite pode sim prejudicar a dentição futura.

      Um grande abraço e boa sorte! Lu

  10. Pingback: Eis que Nicolas dorme a noite toda… « Nicolando por aí

  11. Lu!! Adorei o post, obrigada por me indicar!!
    Aqui em casa aconteceu exatamente a mesma coisa: demos a chupeta por causa do chororô do refluxo. E ajudou bastante o pequeno a dormir.
    Da mesma forma que o Nic, Bento usa para dormir e adora. É esse meu maior medo, não sei se ele levará a coisa tão na boa como o Nic…
    Gostei da sua dica de furar a chupeta. E nunca imaginei que o tal gosto amargo pudesse ficar gravado na memória por tanto tempo, caramba! Esse fds vou fazer um teste e ver como ele reage à retirada… depois eu conto!
    beijos!

  12. Olá! A minha experiência com a retirada da chupeta do Léo de 2 anos e 8 meses não está sendo nada boa! Já faz um mês que ele quis dar pro gato, então, tiramos, chorou nos dois primeiros dias e depois não falou mais nela. Mas… a rotina de dormir foi por água a baixo, está muito nervoso, acordando de madrugada chorando e não quer ninguém por perto, eu fico arrasada e arrependida, pois, agora vejo que não era o momento certo. Estou grávida de 6 meses, então, isso também agrava um pouco. Se eu voltasse atrás, tiraria bem aos poucos e não de uma hora pra outra, no caso dele.

    • Andressa querida, dá cá um abraço… Infelizmente certas coisas a gente só descobre tentando, ne? E como está agora, melhorou? Eu sei que já passou muitos dias desde que você deixou esse comentário, mas tenta achar um substituto pra chupeta – um bichinho de pelúcia que ele goste muito, mudar um pouco a decoração do quarto com adesivos e coisas que ele se identifique, um abajour que roda e faz desenhos na parede, sei lá, alguma coisa que traga um alento a toda vez que ele acordar de noite… ou quem sabe, um de vocês passar a dormir temporariamente num colchão ao lado dele. Chupeta é só um hábito que trás bem-estar pra ele e precisa ser substituido por algo que o faça sentir seguro.

      Espero que as coisas estejam melhores. Eu sei bem como é complicado estar grávida do segundo tentando correr contra o tempo pra deixar tudo encaminhado pra quando o bebê chegar… 🙂

      Beijos, ta?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s