O lado cômico da maternidade


21 Comentários

Carta à (futura) namorada do Nicolas

Ooooooi querida,

Tudo bem com você?

Antes de mais nada, obrigada pelo delicioso dia de ontem! Você não achou incrível essa minha ideia de criar o dia Sogra & Nora uma vez por mês pra gente se conhecer melhor? São tão raras iniciativas como essas… Acho que por isso relacionamentos entre sogra e nora são frequentemente tão complicados, pois não existe um esforço sincero pra serem amigas, não concorda? De qualquer forma, só achei uma pena mesmo você ter ido embora naquela pressa depois do telefonema que recebeu. Acredita que eu nem vi seu celular tocar? Espero que esteja tudo bem com você, fofíssima!

Mas enfim, estou te escrevendo pra confirmar nosso encontro no próximo sábado. Lembra que te prometi ajudar a escolher o presente do dias dia dos namorados pro meu filho? Não se preocupe, tá querida, não vai ser incômodo ne-nhum! Vou ficar felicíssima em ajudá-la, afinal, quem melhor conhece o filho senão a própria mãe, não é verdade?

E falando em dia dos namorados, tão estranho pensar que meu Nic já esteja comemorando essa data… Ainda me lembro perfeitamente daquele toquinho de gente nas aulas de Taekwondo vestindo um kimono enorme com varias dobras na barra da calça e fazendo direitinho todos os alongamentos; da mania que ele tinha de trocar seu próprio nome a cada semana e só responder se fosse chamado por ele; do carinho que ele sempre teve pela Lily, desde que ela nasceu… tão lindo ver que isso dura até hoje, né? Também me lembro como se fosse ontem da visita da vovó, logo depois da dinda Patti, e do dia que ele perguntou pra ela “é a primeira vez que você come panqueca com meladinho (maple syrup), Patti? No aeroporto não tem não?”. É, ele achava que ela morava no aeroporto e que o Brasil fosse cheio de aviões… Bonitinho demais, né?

Outra coisa que não me esqueço é da época em que os dias estavam cada vez mais compridos. Oito da noite ainda tinha um solão lá fora, acredita? Então quem disse que Nic queria ir dormir. Mas ele era tão bonzinho e independente (acho que puxou isso de mim) que ao invés de fazer pirraça, ele simplesmente me pedia uns livros pra ficar “lendo” na cama até o sono chegar. Olha que fofo! Dai, quando ele ficava com sono, sabe o que fazia? Descia da cama, guardava os livros, voltava a subir, se cobria e dormia abraçado à sua boneca preferida, tudo sozinho, menina, sem nunca me chamar! Não é de se admirar pra um menino de 3 anos?

Pois esse é o Nicolas. Carinhoso, com senso de humor, inteligente, independente e organizado. Desde pequeno sempre gostou de me ajudar nos afazeres da casa. Vai ser um ótimo marido, esse meu filho! Você tem sorte da criação que eu dei pra ele, viu? Bom, se ele quiser casar, é claro. E aproveito pra te mandar algumas fotos do Nic dessa época pra você ver como ele já era lindo!

Enfim, ja escrevi demais. Mas antes de terminar, há tempos estou querendo te perguntar uma coisa, só que sempre me esqueço. Serviu direitinho aquela camiseta que te dei no seu aniversário? Nunca te vi usando, por isso fiquei na dúvida. Qualquer coisa encomendo outra em tamanho maior, tá bom, querida?

Beijos e até sábado! Passo pra te pegar!

AS FOTOS QUE PROMETI:

*
_______________________

Depois das palavras dessa doce sogrinha, alguém se habilita? 😀

PS: Fotos tiradas pela dinda, que ficará 3 meses com a gente! Hooray!


13 Comentários

Pra namorada do Nicolas

(o primeiro de uma série)

“Oi minha flor,

Tudo bem com você?

Olha, eu não quero tomar seu tempo com bobagens, mas da mesma forma que eu AMO escutar da minha sogra que o Rafa usou mamadeira até os 7 anos, cortou a franja até o toco no dia do seu discurso como orador do Maternal II ou quase pintou o cabelo de branco quando ele tinha 8 anos, fiquei pensando que você também pudesse gostar de saber que o Nicolas, aos 2 anos e meio, além de não comer quase nada durante o dia (aliás, não sei como ele sobreviveu até hoje pra te conhecer), ficou uma vez com um pedaço de salmão (salmão, veja só!) na boca por duas horas. Sim, duas horas, querida. Sem mastigar, sem engolir, sem cuspir. E ainda conversando com a gente como se o salmão não passasse de uma extensão da sua língua.

Engraçado ver que hoje a gente mal enxerga o Nic atrás do prato de comida, não é mesmo? E aquele tanto de salada que ele come? Quase não acredito…

Mas então é isso. Beijos, tá querida!

Sua sogrinha

PS: Estou adorando ver vocês dois tão empolgados com tantos planos!

PPS: Não vejo a hora de chegar o próximo final de semana pra gente fazer aquela viagenzinha gostosa, só nós três, hein? Não vai ser ótimo?

Beijos, beijos!”

Atualização: Ah, e o salmão? Depois de ser sugado até ficar branco, foi parar na lixeira, infelizmente… 😦