O lado cômico da maternidade

Quando viajar com crianças é só uma questão de perspectiva

52 Comentários

“Viajare con crianzae pode ser bonno, malum o terriblae. Dependum de la perspectivae, et também se habemus mamam, se habemus papam et como agem los duo.”

Proverbium latinum.

Depois da última viagem às terras tupiniquins, jurei pra mim mesma que só voltaria após a invenção do teletransporte.

Bom, na falta dele, pensei que o mínimo que as companhias aéreas deveriam fazer era promover todo mundo viajando com filho pequeno direto à primeira classe.

– Seu nome, por favor.

– Luciana Azevedo.

– Passagens somente pra senhora, Sra. Azevedo?

– Não, também vou levar minha filha de 1 ano e meu filho de…

– Desculpa interromper, mas não precisa dizer mais nada. A senhora aceita uma taça de champanhe?

– O-o que está acontecendo? Peraí, isso é chuva de confetes?

– Sua família acaba de ser automaticamente promovida à primeira classe em todos os voos de ida e volta pelo preço da econômica! Parabéns!

– Me-mesmo?

– Sim! E por terem dois filhos pequenos, vocês ainda terão uma limosine à disposição pros traslados devidamente equipada com chofer, manicure, duas cadeirinhas pras crianças, cookies de semente de girassol e chia, tábua de frios e uma vasta seleção de vinhos franceses. Tudo sem custo adicional!

Gente! Custava???

Mas não. Sabem o que fazem do contrário?

Colocam uma mãe, um pai e uma criança de dois anos que nunca tinha dormido uma noite completa na vida, confinados no meio de uma estúpida fileira de 5 assentos no meio do avião. Imagina a situação. Duas pessoas e meia enclausuradas por 10 horas noturnas em três poltroninhas esmirradas (não no sentido de terem sido feitas de mirra… [porque lembra, né? Ouro, mirra e incenso?] … mas no sentido de serem apertadas mesmo – só pra esclarecer).

Pra piorar, ouvi dizer que a mãe em questão, coitada, ainda sofreu requerimentos intestinais a cada meia hora durante todo o voo.

Se fosse comigo, eu só não pedia pra morrer ali mesmo porque tenho superstição pra essas coisas.

* * *

Agora, pior que isso, é passar todo um perrengue desses, enquanto do seu lado tem um casal fofo, todo trabalhado no filminho, sonequinha e comidinha de avião, com um filho que dorme o voo todinho, sem dar um pio.

Aí não!

Passei exatamente por isso nas 28 horas de voo da Australia pro Brasil, quando o Nic estava com 5 meses e tinha refluxo. O avião era até bacana, equipado com bercinho e tudo, mas era como ter um banquete na nossa frente e não poder comer, sabe? Veja bem, pra começar, eu passei metade do tempo de voo em pé no corredor, dançando forró com o iPod coladinho no ouvido do Nic, pois essa era a única forma que ele dormia. Eu cansei de escutar os atendentes me implorando pra sentar e colocar o cinto, e até aprendi a ignorar a cara de interrogação dos gringos olhando pra mim. Tudo isso, pra colocar o Nic no berço e ele acordar – enquanto o vizinho não acordava nem pra dizer “nhém”.

Brutal.

Ou seja, enquanto eu saí do avião tonta de cansaço, zonza de inveja e enjoada de todo aquele Fala Mansa na minha cabeça, os pais dessa criança dorminhoca devem ter saído propagando que voar com bebê é mamão com mel, de tão doce.

Perspectivas diferentes.

Daí, que esse ano, só posso ter batido a cabeca em algum lugar, porque decidi ir de novo pro Brasil. E pior, com uma criança a mais.

Felizmente, quem tem marido que viaja muito, alem de aprender a escovar os dentes com o pé, ainda tem chances de conseguir promoção pra classe executiva com as milhas acumuladas.

Não precisamos de esmola não, viu suas airlines?

* * *

IMG_4015(as quiança tudo de pijama no aeroporto)

Entro no avião às 10:30 da noite.

À medida que me aproximo do meu assento, mal consigo conter uma lágrima furtiva de emoção. “Amor, me belisca (mas não com força) que eu só posso estar sonhando” – consigo balbuciar.

Ali, à minha frente, se encontrava a visão mais espetacular que uma mãe em espaço aéreo pode sonhar: poltronas individuais, confortáveis e com-ple-ta-men-te reclináveis. PERFEIÇÃO. O Éden sobre duas asas.

IMG_4020

Até que eu sento e me dou conta que o tal Éden era estreito demais pra mim e Lily.

Acredito que o resto do voo vocês mesmos podem adivinhar como foi. Só quem já tentou dormir com uma criança de sono leve encima de si próprio, e tentou com todas as suas forças ignorar aquela coceirinha persistente na beirada do umbigo, sabe que a situação fica insustentável depois de meia hora. Ou mesmo 1 minuto, dependendo da coceira.

Ali eu fiz de tudo, colegas. Tentei dormir sobre meu ombro pra caber a Lily do meu lado, troquei de lado, voltei com ela pra cima de mim, ela escorregava, eu a sustentava com o braço, o braço adormecia, eu virava de lado outra vez, ela acordava, eu dava peito, punha travesseiro, tirava travesseiro, chorava.

Oito horas se passaram e eu não preguei os olhos. Tanto tempo fazendo cama compartilhada, pra descobrir que não sei compartilhar poltrona.

Olho pro relógio, faltam 2 horas pra pousar. Tento abstrair, lembrar das minhas aulas de ioga e me transcender pra um nível superior de pensamento. Penso no quanto somos afortunados por termos conseguido o upgrade, que raras famílias têm essa oportunidade, e como era bom saber que o Nic e o Rafa estavam ali, confortavelmente instalados nas poltronas ao lado.

Peraí.

Rafa. Confortavelmente instalado. Hm.

É, nunca fui boa em ioga mesmo.

Pro inferno com esse negócio de elevar o espírito. Ao invés, elevo minha cabeça pra chamar o pilantra pra me ajudar. Mas sem chance, as cadeiras são altas demais e incomunicáveis. Nesse momento meus olhos passam pelo homem à minha frente: tranquilo, relaxado, sentado comodamente com suas pernas esticadas, encosto semi-reclinado, sorvendo sem pressa o seu café matinal, enquanto assiste à sua ampla seleção de lançamentos. Puto.

Nisso, aparece um outro ser na minha frente.

Figura sorridente, simpática e descansada. Passa a mão nos cabelos com graciosidade, faz cute-cute na bochecha da Lily e solta:

– E aí, amor, me fala se todo o tempo que você passa sozinha com as crianças enquanto eu viajo, não compensa nessas horas?

O fulmino com os olhos a ponto dele virar carvãozinho no chão. Entrego a Lily pra ele, olho pro relógio: não dá pra perder tempo, tenho 34 minutos.

Reclino totalmente minha cadeira, me deito e pela primeira vez em quase 10 horas sinto o prazer em viajar na classe executiva.

Anúncios

52 pensamentos sobre “Quando viajar com crianças é só uma questão de perspectiva

  1. Ah, não! Quequéisso??? Reclamando de barriga cheia? Poderia ser pior, amiga! Imagina o sufoco na classe econômica! E com uma criança maior? 😉

    Viajar de avião é desconfortável de qualquer jeito, né? Principalmente quando vamos com crianças. Sabe que mesmo Alice tendo assento próprio, na hora de dormir, sobra meio banco pra mim, sempre. É um tal de trançar as pernas das meninas pra lá e pra cá, que meus membros ficam dormentes do mesmo jeito que os seus ficaram. Tu foi é sortuda demais de ter voado business! Gente chique é outra coisa! 🙂

    Adorei o texto! (Leva a mal minha reação não, viu?) 😉

    • Ana, justamente por isso eu tinha que reclamar, menina! Viajei de business e nao aproveitei nada! Nao dormi, nao jantei, nao tomei vinho! Ó que horror! Sabe a única coisa que eu fiz? Foi limpar minhas mãos na toalhinha quente! hahaha!

      Eu cheguei em SP tao cansada qto se tivesse viajado por econômica. Nao é frustrante nao? Ah, eu acho!!! 😀

      Beijos!

  2. Kkkkkkkkkk falou tudo e mais um pouco! Mas como diz minha mãe : ser mãe é padecer no paraíso kkkkkkk bjos

  3. Como é bom começar o dia lendo um post teu!! Vê se não fica mais tanto tempo sem aparecer por aqui, tá? Beijo!!

  4. Nossa Lu, é muito chique isso de viajar assim! Hahahaha! Olha só a deslumbrada falando!
    Mas ainda tem o lado bom desse aperto todo pra vcs duas: imagina se fosse assim na classe economica?! 😉
    E que saudade dos seus posts, é muito bom te ler de novo!

    • Ju, o aperto da classe econômica a gente passou na volta! So nao contei pois esse é aperto de todo dia! Hahahaha!

      Beijos e obrigada pelo carinho!

  5. Lu, adorei seu post! É sempre um desafio viajar com criança e ainda mais com duas!!!! Bjs com saudades!!!

  6. Quer dizer que vocês estiveram por aqui e a gente nem ficou sabendo? teríamos gostado imensamente de retribuir o convite para um delicioso chá e quase quase também poderíamos retribuir a neve! tipo toma lá dá cá!

    • Ah Vera!!! E o pior é que passei por SP, não me mata não! Mas foi tão, tão corrido que eu acho que não ia nem dar tempo pra essa retribuição – o que eu adoraria!!!

      Vamos agendar pra proxima? So não repara que depois dessa viagem, calculo que só volto daqui 5 anos, viu? hahahaha (trauma é trauma, não dá pra julgar!)

      Beijos!

  7. Lu, AMEI o seu texto, me matei de rir !! Me lembrou muito o meu voo pra Alemanha com o Lucca quando ele tinha 1 ano e meio. Nao foi de executiva, foi de economica mesmo, mas ainda lembro das risadas do meu marido se divertindo com os DOIS filmes que conseguiu ver e eu mal podendo me mexer com o Lucca em cima de mim.

    • Pilantragem, né Clarissa? hahahaha

      E eu, como amamento a Lily, incuti (palavra engraçada) que seria mais fácil pra mim levá-la comigo. Como a poltrona do Rafa tava longe, deixei pra lá. Mas na proxima (se tiver proxima em executiva!), não vou sofrer sozinha não! Fui bem bobinha! hahaha

      Beijos!!!

  8. kkkkk Bom demais! Adorei, podia ser um episodio do meu sitcom “Como Viajar com Seus Filhos Sem Enlouquecer”.

    beijos

  9. Ai, to vendo o que me espera, viajo pela primeira vez com duas no final do mesmo, a mais nova nao vai ter nem 4 meses. Pelo menos eh pra pertinho (2 horas e meia) e eu nunca fiz yoga, entao marido VAI ter que ajudar e muito. Em janeiro sera a grande prova, viagem pro Brasil, quando a mais nova ja nao vai ser mais tao estatica quanto agora. Era pra eu voltar sozinha, com duas, mas amarelei e implorei pra minha mae vir comigo (vamos na classe apertada). :-S

    • Chris, vai esperando o melhor, mas se prepara pro pior, essa é minha dica pra quem vai enfrentar viagem longa com criança. Pensamento positivo que vai dar tudo certo sim, ainda mais que sua mãe vai voltar junto (bem pensado!!).

      Eu conto esses casos não é pra fazer terrorismo, só pra dar risada do infortúnio alheio mesmo! (apesar de ser tudo verídico!) hahaha

      Boa sorte!!!

  10. hahahahahahahahahahaha
    hahahahahahahahaha
    hahahahahahaha

    morri de rir!!! morri!!! morri!!!!

    tadiiiiiiiiiiiinha dessa minha amiga…. agora, me fala, pq vc não acordou o marido no MEIO da viagem e dividiu o sono???? HEIN??? Pelamor, eu já teria jogado a Laura por cima dos biombos e falado “segura aí!!”…. imagina.

    Agora, morra de inveja de mim: eu só viaJAVA de primeira classe. Primeira. FIRST! FIRST CLASS, excuse me. Era fantástico, pq todo este cenário é ainda melhor quando vc viaja sem criança na primeira classe.
    Quando viajei para fazer o enxoval da Laura, fui e voltei de primeira classe, da american, uma diliça, e eu estava grávida, imensa…. na volta, já cansada da maratona Orlando+Disney+Miami+mama conhecendo tudo + eu cuidando de tudo e todos = tomei uma taça de vinho para relaxar e…. DORMI A PÔRRA DA VIAGEM INTEIRA!!!! Não jantei, não vi um filme, não aproveitei os vídeos individuais, não fiz nada… só dormi. Dormi… dormi….

    Agora não viajo mais para fora, pq, né? Há que se ter muito dinheiro. Mas um dia eu vou te visitar, querida. Nem que seja de econômica (e será mesmo hahahahaha).

    beijos!!!

    • Dani, eu até agora to tentando entender porque não me levantei e entreguei a Lily pro marido antes. Ela ta numa fase de apego total e absoluto comigo (sabe como né?) e aqui em casa ela costuma gritar se o Rafa pega ela à noite. Acho que no fundo fiquei querendo evitar isso, sei lá!!! Pastelei mesmo, hahahaha.

      Agora, a respeito do resto do seu comentário, eu nem li, tá? #invejaexplica

      Mentira, li sim. Primeira classe???? Pô, Dani!!!! E nem foi cortesia das arlines? Fiquei BEGE!

      Depois dessa, vou cobrar MESMO pra vc vir me visitar! E vem logo, hein!!!! 😀

  11. Ah, que saudades de vcs! Estiveram do Brasil? Que legal! 28 horas de voo, ui, que medoooo! Ano que vem estou planejando uma dessas…me interna???? Lindos filhotes de pijama no aeroporto, gamei e tb faço igual, hehe. Até eu queria viajar de pijama, porque né…classe econômica com filhos só com pijama bem velhinho para ter alguma sensação de conforto! Beijos!

    • Amo criança de pijama pra voar! Acho chique! hahahaha

      Ta se preparando pra uma longa dessas, Nine? Me conta, me conta!!! A experiencia pode ser punk mas é o que eu sempre digo: tudo compensa quando falamos de viagem. Viajar é a melhor coisa que a gente pode fazer nessa vida.

      Né não?

      Beijos e boa sorte!!! (quero saber o destino!!!)

  12. Ai, Lu, que coisa, hein? Mas, olha, engracadao. Saudade dos seus posts engracadoes!!! Tem mais post no forninho? 🙂

    • Mari, tem assunto a rodo pra contar, mas ainda não comecei a escrever não! Mas vai saindo, quando vc menos esperar tem post novo! 😀

      Beijos!

    • Mari Mari… Descobri seu blog ha pouco tempo e qd comecei a devorar os posts, vc tornou o blog privado.. Ai! Doeu no coração! Hahaa. Tamo junta na bandeira do “vamos parir o tanto q Deus mandar”. Rs. Abre aih o blog vai! :/

  13. Putz!! Sei exatamente pelo que você passou. Dormir com criança no colo no avião é um inferno seja na econômica, seja na executiva. Nada de glamour para a pobre mãe que fica acordada a noite inteira com o corpo formigando sem sequer poder levantar pra ir ao banheiro. E o marido ainda acha que pelo menos você dormiu melhor. Hahahaha. Not easy at all…

  14. A-do-re-iiiii!!!!!
    Tava comk saudades desse3s momentos de diversão, embora baseados todinhos em momentos de sofrimentos vividos por você Lu… Tadinha!!!!!
    Quem sabe não surge uma outra oportunidade de aproveitar a business e daí sus perspectivas se elevem aos céus!!!!!
    Bjos
    Ps: Desistiu de escrever sobre suas inspirações no Brasil, tipo azulejar a praia, e tudo mais? Estamos aguardando ansiosos….Hehehehehehe

  15. Bom dia querida!!!!! que post delicioso de humorado de ler bem cedinho. Como uma pessoa pode ser tao naturalmente comica hein?! Mas olha, falando serio, e eu que achava ter sido terrivel meu retorno a Angola de 9 horas com o Joao ( 2 aninhos), acordado a viagem toda e sem parar um minuto quieto, correndo pelos corredores. Fiquei um verdadeiro bagaço.rs
    Beijo enorme!
    PS. A cria ta linda! Parabens!

    • Obrigada, Tati! Então vc sabe bem do que eu tô falando, né? Eu adoro levar crianças nas viagens que a gente faz, mas ficar confinado num avião, sem poder gritar, correr, fazer bagunça e ainda ter que obedecer sinais de colocar cinto, é muito desumano pra criança… e pros pais que têm que se virar pra controla-las.

      Tô doida pra chegar minha proxima viagem. #not

      hahahahaha

      Beijos!!!!

  16. Não poderia deixar de escrever. Seus posts são o máximo! Tenho um pequeno também (14 meses), mas até hoje só fiz viagens rápidas de Brasília para Bh, mas também jurei não voltar mais tão cedo (aeroporto lotado, vôo atrasado… que sufoco)! Mas como memória de mãe é curta já estou planejando a primeira viagem internacional com o baby e o maridon hahahaha,, vamos em dezembro para Miami, vôo direto, econômica (ui!), com muito amor no coração e uma dose extra de paciência. Deus nos ajude! Bjus

    • Vamos inventar o Memoriol pra mães, Mayris? Porque que a gente esquece dos perrengue tudo e volta a planejar viagens longas com criança, né?

      Tá, porque passando o voo é tudo bom demais. 😀

      Boa sorte na sua viagem pra Miami! Vai dar tudo certo, vc vai ver!

      Beijos!

  17. kkkkkkk, mas parecia mesmo o paraíso! kkkkk
    E ainda ouvir essa do marido!

    Beijo!

  18. Mulher. Eu te entendo. Seria meio estranho, sabe, porque a gente não se conhece, mas se vc tivesse me contado essa história pessoalmente eu estaria te abraçando bem apertado.

    Meu filho tinha 12kg com 9 meses (hj o cara tem 2 anos e pesa 15, olha o tamanho dele bebê!!), viajei com ele para Paris (saindo de SP).
    Fomos de economy plus (er..nhé), FOI HORRÍVEL. Ele até que dormiu de boas, o marido adorou a viagem, até roncou do meu lado – mas eu… digamos que a minha coluna morreu nesse dia.

    Depois disso, cheguei a viajar outras vezes com ele no colo (somei e deu mais de 100h de viagens de avião com ele antes dos 2 anos) – E EM EXECUTIVA. Na poltrona da Alitalia, parecida com a da foto eu deixei ele escorregar umas mil vezes do meu lado… o pobre bebê gorducho não entrava na poltrona!!

    O FIM!

    Ah, dia 16 vou pra Itália de novo. Vou voar de dia, uma beleza de econômica, (só nós dois) e devo chegar as 2h da manhã, fazer conexão com o pequeno sonolento e super de bom humor.

    Me abraça?

    Beijos

    • Demorei pra te responder, mas li seu comentario assim que escreveu e adorei! Morri de rir! Perdoa?

      Fiz as contas aqui e o Nic, com 2 anos também ja tinha viajado 110h. Mas taí uma experiencia que a gente acumula, mas não se beneficia TANTO, né, posto que as crianças crescem, mudam de fase e quando vc acha que tá preparada, lá vem paulera.

      Mas enfim, bom saber que alguem me entende!!! Vc já deve ter viajado pra Italia e dependendo já até voltou, ne? Espero que tenha sido melhor desta vez e que volte pra me contar como foi! Quero saber!!!

      Beijos!!!

      Lu

  19. Que bom ler seu post!
    Francisco tem 2 anos e 4 meses e estamos nos preparando para uma viagem à Rússia no comecinho de outubro. Ele sempre foi um menino maravilhoso! No Carnaval passado fomos à Grécia e ele não deu o menor trabalho! Mas agora entrou numa fase mega chata. Quando quer alguma coisa, se joga no chão, bate na gente, se esguela… Um porre! Estou de cabelo em pé com a viagem se aproximando! Fortaleza/Lisboa/Frankfurt/São Petersburgo, com ele dando chiliques, não vai ser mole! Espero que essa fase passe antes da partida! Se eu sobreviver, contarei aqui! Beijo em todas!

    • Primeiro, um abraço solidário.

      Isabella, criança nessa idade já exige paciencia, agora em viagem, a gente tem que ter o triplo, né? Agora, Russia? Primeira vez que ouço falar de viagem com criança pra lá, que bacana! Sempre fui louca pra visitar esse país e uma vez quase me inscrevi numa aula de russo pra ir na Transiberiana. 🙂

      Mas não fui.

      De qualquer forma, fico torcendo por você! Vai que o avião exerce algum fascinio no Francisco e ele não se comporta? Não deixa de levar umas novidades pra ele brincar e tenta descansar muito antes de ir!

      Beijos, boa sorte!

  20. Oi Lu, é a primeira vez que visito o teu blog e já gostei muito. Viajar com crianças é complicado mesmo, ainda mais quando são muitas horas de vôo, mas ainda bem que viajaste na classe executiva. Um óptimo dia para ti. Beijinhos

    • Oi Telma, bem vinda e muito obrigada pelo comentário simpático! Eles vão crescendo e a tendencia é tudo isso ficar mais fácil, ne? Daqui uns anos, nem post vai render mais! 😀

      Beijos!

  21. Não tinha visto esse post kkkk. Não tenho intimidade mas vou falar: pow o maridão não podia dividir o serviço não? Pelo menos dava para ter aproveitado 50% do upgrade né?
    Quem me dera um upgrade assim, nem em sonho eu consigo, sempre acordo antes 😦

    • Não é, Livi? Mas vou dar o desconto, porque eu jurou que achava que eu tava bem, descansando mega. Na proxima não deixo isso acontecer mais não! 😀

      Beijos e desejo a voce que pelo menos seu proximo sonho seja completo! 😀

  22. Sempre vou repetir que quem tem o dom de escrever com humor, sempre encara os problemas com uma perspectiva mais poderosa. Ri muito com essa publicação hehehe. Eu vivo fora do Brasil, ainda haja nascido em SP, imagino como será a logistica para sair daqui de Lima com os dois, mas com certeza, será mais “amigável” que a sua. Quando inventarem o teletransporte, me avise, pois aqui na américa do sul vai demorar mais um pouquinho rs

    • Muito obrigada, fico feliz que tenha gostado do post!

      Que bacana saber que moram em Lima! Meu marido viajou pra aí por mais de 1 ano a trabalho e sempre gostou da temperatura SUPER estável da cidade e dos restaurantes! 🙂

      Pode deixar que vou ficar ligada nas notícias sobre o teletransporte. Talvez desse jeito eu possa visitar as montanhas do Peru um dia, e com as crianças! hahaha

      Abraços!

  23. Pingback: Praia boa é praia azulejada |

  24. Pingback: Viagem com bebê | blogdamamaesustentavel

  25. Pingback: O dia que eu fiz um book fotográfico |

  26. Ola Luciana tudo bem?estava procurando dicas de viagem com bebes, e encontrei seu blog muito bacana por sinal parabens!! Tenho um menino meu Artur de 1 ano, e vamos para o Mexico curtir nossa lua de mel a 3..agora em novembro..voce conhece?
    Eu e meu esposo estamos pensando em nos mudar para o Canada..como e a vida para quem tem filhos pequenos por ai? Digo
    qualidade de vida, custo de vida, e o frio da
    para aguentar sem ficar depre…meu marido e arquiteto e eu cuido do pequeno por enquanto..
    Um beijo e parabens pelo blog e pela familia bonita

    • Obrigada, Katia!

      A gente já foi pro Mexico sim, mas não foi uma viagem usual pra conhecer varias partes. Nós fomos pra um resort em Los Cabos e amamos! Inicio do ano que vem vamos de novo!

      Bom, o Canada é maravilhoso… super seguro, natureza incrivel com parques por todo lado, muita infraestrutura pra quem tem crianças. Excelente qualidade de vida mesmo! Enquanto depender da gente, não nos mudaremos daqui não!

      O custo de vida e o frio, dependem de onde no Canadá vcs pretendem morar. Aqui em Vancouver e arredores o custo de vida é o mais alto do Canada (casas caríssimas, aluguel e supermercado), mas os salarios costumam ser tambem… Já o clima é o mais ameno! Aqui chove muito, mas não neva como em outras partes do país e raramente as temperaturas caem pra baixo de zero.

      Não sei como é a demanda pra arquiteto, mas sugiro vcs procurarem a lista de profissioes que o Canada precisa. Quem sabe?

      Beijos e boa sorte!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s