O lado cômico da maternidade

O ginecologista, o primeiro, o segundo e… o terceiro rebento

57 Comentários

lily

Eu adoro morar em cidade pequena. Gosto de lugar onde os vizinhos se conhecem e se cumprimentam, levam cookies caseiros um pros outros e até deixam flores na porta da gente num dia de primavera (tem que ser muito fofo pra fazer isso, não?). Gosto da segurança, da tranqüilidade e do ar puro – um privilégio pra quem tem crianças, penso eu.

nic

No entanto, se me perguntarem qual a grande desvantagem de se morar num ovinho com 17 mil habitantes no Canadá, digo sem titubear: o risco iminente e repentino de dar de cara com… um urso? um cougar?

Não gente, meu ginecologista.

Seja no Starbucks, na fila do banco, no correio, no supermercado, ou o que é ainda pior: na festinha de um amiguinho em comum. Já imaginou?

Porque pense comigo: uma coisa é ter um papanicolador que você só encontra no contexto clínico-gineco-hospitalar, faz sua consulta, tchau, até a próxima. Mas outra completamente diferente, é essa mesma pessoa, que se ocupa da saúde de sua periquita e certos aspectos da sua vida sexual, estar inserida no mesmo contexto social, pessoal, festeiro, playgroundeiro, político, econômico e comunitário que você, concorda?

Então, imagina minha cara, quando uma semana após uma consulta onde discutimos métodos contraceptivos e meus motivos pra gostar mais desse ou daquele, trombo com minha querida ginecologista perto da piscina de bolinhas na festinha do little John.

scared

Tá, talvez eu esteja exagerando um pouco na cara. E como não sou dada a exageros (adoro manter tudo bem preciso e real), acho que a cara abaixo está mais condizente.

susto

Pois bem. Fato é que eu quase caí dura e empalhada. Mas como assim, ela conhece o Joãozinho? Então ela também tem filhos, tem vida social? Por que tanta maquiagem, meodeus? Como lidar com o fato dela saber tantas coisas de minha pessoa e eu nada sobre ela? Sobre o que vamos conversar? Posso devolver as perguntas que ela já me fez? É de bom tom chamar meu marido e apresentá-los? Tudo bem se eu me virar e sair correndo?

Mas então, ela me olha, me cumprimenta, esboça um sorriso amarelo, abaixa os olhos, o Rafa chega, ela vira o rosto, finge escutar a filha chamando e sai gritando “I’m coming, sweetheart!“. A partir daí, cuidadosamente conseguimos evitar uma a outra – até o fim da festa. Amém.

Constrangimentos que ninguém pensa em passar antes de se mudar pra uma cidade pequena, né? Pois agora, aprendi minha lição, e desde então, tenho tomado duplo cuidado com encontros inusitados. Seja com ursos, cougars ou ginecologistas.

Agora, esse papo todo me fez lembrar de um assunto relacionado. Quer saber? Comecei a planejar o terceiro filho!

Tá, mentira. Mas outro dia, como se eu não tivesse mais nada pra fazer, resolvi consultar o fazedor de bebês cibernético por curiosidade. Ele usou uma foto minha e do meu marido, juntou genes algaritimicos, fez interpolações avançadas, mesclou fuça de um com nariz do outro e… tcharam!!! Descobri que se for menino, ele tem GRANDES chances de ser assim:

Screen Shot 2013-04-26 at 5.37.58 PM

E se for menina, assim:

Screen Shot 2013-04-11 at 1.01.51 PM

Achei bonitinhos (apesar da boquinha que de tão pequenininha é até menor que o olho), mas nhá… decidi que vou querer mesmo um gatinho, sabe? O Nic, que me pede um ser peludo há 2 anos, vai me agradecer. Marido vai querer me trucidar, mas fazer o que? Acho que tô precisando me ocupar com algo mais, sabe?

Portanto, desculpe você que chegou aqui afoita* porque achou que eu estava grávida. Foi mal!

Mas cá pra nós. Só se eu estivesse completamente insana pra encomendar um terceiro! Vem comigo e observe:

Após 3 anos de Canadá, nos rendemos e arranjamos uma ajuda pra limpar a casa a cada duas semanas. No entanto, após 5 meses de trabalho, não mais que de repente, a moça nos deu o cano e terminou nossa relação trabalhística. Por celular. Mensagem de texto. Essa agora é a tendência, pessoas? As relações chegaram mesmo a esse ponto?

Pra completar, meu primogênito decidiu que de agora em diante eu TENHO que ver absolutamente TUDO o que ele faz, mesmo que seja algo completamente inútil. Da última vez (30 minutos atrás), queria que eu o observasse realizando a incrível façanha de pular sobre um carrinho de ( ) 1 metro, ( ) 30 cm, (x) 1 cm de altura. Isso mesmo. Inicialmente, ele pulava normalmente (aqui, mamãe!), depois colocando uma mão na cabeça (olha, mamãe, olha!), depois pulava com um pé só, de lado, de frente, de costas – de novo, de novo e de novo. Quando eu já não aguentava mais me virar pra ver a mesma cena tantas vezes, lhe disse pacientemente “já vi, querido, achei fascinante, mas agora estou ocupada, tá bom?”, no que a pessoinha diz “não viu não, mamãe! Você não me viu pulando o carrinho com a mão na testa. Olha, mamãe, olha!”. Isso o dia todo, todo dia.

Já quando esta mesma criança não está me chamando, ela está caindo em cima da irmã de propósito. Ou a empurrando, ou pondo o pé na frente quando ela está passando, ou roubando o copo de água da mão dela, ou a fruta, ou o brinquedo. Tudo coisa legal e bacaninha. Claro, também rolam os abraços, os beijos, e momentos em que brincam junto bem bonitinho mesmo, mas, invariavelmente também acabam em choro.

“Ah, mas menino é assim mesmo. Felizmente, a caçula ainda tá muito pequeninha pra aprontar, né Lu?” Você, ingenuamente me pergunta. Pois espero que somente as cenas seguintes lhe sirvam de resposta, meu caro leitor:

lily1
(Março de 2013)
album
(álbum do Nic mostrando umas das poucas vezes que ele “aprontou”, rasgado em Março de 2013)
lily2(minha gaveta de roupas sendo organizada e migrada pro outro lado da casa, Abril de 2013)
lily4
(ataque à caixa de tintas do Nic, hoje, poucas horas atrás)

Tá bom, ou quer mais? Ah sim, também tem o caso do chocolate, claro! E se quiser um video, então fica com esse aqui, bem rapidinho pra fechar com chave de ouro. Favor não reparar que ele foi gravado na vertical, na falta de edição e na bagunça do quarto. Só não deixe de reparar na altura da cama. Sem mais.

(Lily, 14 meses, pouco antes de tomar banho)
Aceito abraços solidários. Obrigada. 🙂

* desculpe, não quis desprezar meus leitores homens, mas é que não consigo imaginar nenhum chegando aqui ‘afoito’ com a possibilidade de mais um bebê, não? To errada?

Anúncios

57 pensamentos sobre “O ginecologista, o primeiro, o segundo e… o terceiro rebento

  1. Ô lindeza! Estava com saudades de vcs! E que habilidade da Lily, em? Por aqui estamos na mesma fase em relação ao Nic-Ísis, Pedro-Lily. Eita! Beijos!

    • Nine! Um consolo saber que aí tambem é assim! Tem hora que desgasta chamar a atenção toda hora, mas os momentos carinhosos são tao bonitos que compensam, ne?

      Beijos! Saudades de vcs tambem!

  2. Ahahahahahahahahahaha! Lú, recomendo o bichano, viu? 😉
    Super beijo!

    • Quem me dera ter um lindo como o seu! Mas agora fala serio: sera que nao vou ficar mais louca nao? As criancas vão se distrair com o gatinho ou eu terei mais trabalho defendendo o pobre animal? Respostas que so terei depois do bichano, ne?

      Vamos ver! 🙂

  3. Ê! Finalmente voltou! Estávamos com saudades dos teus posts!!! Mulher, que cama alta, hein? Tadinha da Lily! hahahahah

    Essa fase é trabalhosa mesmo, eles querem nossa atenção o tempo todo, né?

    Tu tá falando sério do gatinho? A gente quaaaaaaase pegou um, mas descobri que temos alergia. Eu e a Laura. Sai da casa da moça espirrando e com o nariz escorrendo. Se tu quiser mesmo, me fala, que ela quer se desfazer do gato porque tem alergia. O gato é fofo demais, tem 4 meses, e é daqueles bem grandões e peludos. Ela ainda não achou ninguém pra pegar o gato. Bjs!

    • Ana, essa cama é altíssima! E como é king, todos recomendaram que a gente usasse o colchão duplo pra dar mais apoio, sabe? Mas fico boba que nem isso detém a Lily! O Nic JAMAIS faria isso, nem na idade dela, nem um pouco maior. Incrível!

      Sobre o gatinho, quero mesmo! Te mandei email falando mais. Beijos!

  4. Ahahaha vi três vezes o vídeo e morri de rir em todas!
    Que fase deliciosa que eles estão. O meu pecurrucho por enquanto a única traquinagem que faz é rechear a fralda bem na hora de sair de casa e ela vazar pra todos os lados. Quando será que vou deixar de achar lindo?
    Bjos

  5. Gente, ela tem técnica para se jogar da cama!!

  6. Caramba! É, Lily tem muita saúde, rsrsrsrsrs.
    Abraços solidários. A minha tb era uma espoleta.
    Ajuda contar que com 8 anos ela acalmou?
    Bjs

  7. Lu, fiquei super curiosa pra botar minhas fotinhas no tal do makemebabies, so pra ver quao diferente dos meus filhos a misturinha vai ficar.
    enfim, achei que voce tinha abandonado seu blog. po, mais de um mes sem post? achei que vc tinha se desencantado de blogar.
    olha, enquanto voce nao encontra ajuda com a faxina da casa e precisa se virar nos 30, dá uma olhada nesse site: flylady,net. voce conhece? tem feito milagres aqui em casa. Juro. Palavra de amiga.
    beijo

    • Coloca as fotos lá e depois mostra pra gente!!! To com saudades dos seus posts tambem. Eu demorei muito desta vez, mas nao abandono isso aqui nao. Adoro blogar! Mas tenho trabalhado muito, tem sido difícil.

      Nao conheço o site nao, vou olhar! Obrigada, abraços!

  8. Amei seu retorno ao blog Lu. Adoro suas histórias… Moro numa cidade de 15 mil habitantes… Te entendo perfeitamente. Beijos

  9. Aterrissagem suave da Lilly! kkkkk

  10. Ah finalmente voltou ! Saudades de rir com seus textos. Mas acho que não foi brincadeira não….deve ter alguém lá em cima se preparando pra vir….rs Beijos !

    • Vira essa boca pra lá, dona Luciene!!! Hahahaha

      Que bom que gostou do retorno! Espero nao demorar tanto pra escrever o próximo! Beijos, obrigada pelo carinho!

  11. A ginecologista pelo menos não derruba o seu lixo de madrugada e nem fica dormindo horas no jardim! Ah, o cougar conhecia no Brasil como suçuarana – tinha um berro que dava muito medo à noite na fazenda.

    Quanto aos filhos poderia ter o ditado: “filho é tudo igual, só muda o endereço” né?

    • Ah é? Suçuarana? Achei que fosse pantera, mas acho que o cougar é menor, ne?

      Fiquei rindo imaginando a ginecologista revirando o lixo! Hahahaha! Que bom que nao, senão seria mais um motivo pra evita-la! 🙂

      Rafa, mas vou te falar que o Nic em 4 anos, nao aprontou nem metade do que a Lily ja aprontou nesses 15 meses. Hoje mesmo, virei as costas um pouquinho e ela riscou a parede. Duas traquinagens no mesmo dia. Nic nunca fez isso, juro! (Ou sera que minha memória está me aplicando um golpe e realmente toda crianca é igual?) 😀

      Beijos!

      • Lu, pensa um pouco: quando o Nic tinha 15 meses, ele tinha acesso a giz de cera ou qualquer coisa que pudesse riscar a parede? Aqui o giz so entrou depois que o joaquin fez 3 anos porque eu COMIA giz. entao, claro, o joaquin so comecou a riscar parede depois dos 3 anos. por que será?

        • Mari, seu raciocínio tem lógica mesmo! Mas no meu caso, na época que o Nic era pequenininho, eu desenhava muito em casa, tinha vários lápis e gizes. Tanto que tenho varias fotos do Nic com 1 ano ja sabendo segurar um lápis e riscando no papel. Mas ele nunca usava pra riscar as paredes, o que eu alias, era doida pra ele fazer pois achava bonitinho. Hoje to aqui, me descabelando com a Lily! Hahahaha!

  12. Lu, nao parei de rir do começo ao fim! E o vídeo da Lily saindo da cama foi de fechar com chave de ouro mesmo… Kkkkk. Ela nem Tchum!… Kkkkk
    Muito engraçado como estamos vivendo coisas muito parecidas mesmo. Mesmo eu com 2 meninas e vc com um casal. Mesmas historias. Que fofos vcs!
    Adorei!!! Beijocas e parabéns por ser uma mãe tão linda.

    • Ah, que linda vc, Ananda, sempre tao carinhosa!!! To com saudade das suas meninas, vamos ver se nos encontramos! Beijos! Beijos!

  13. Oi Lu,
    Nossa, não consigo me imaginar morando numa cidadezinha assim!
    Sobre o gatinho, se eu fosse vc esperava um pouquinho mais…
    Amos gatos, sempre tive gato desde que eu me entendo por gente, trouxe o meu lááá da “terrinha”, sou super a favor de ter um felino em casa, só acho que vc realmente vai se estressar com mais isso! Já pensou na Lilylinda comendo a ração do peludo, ou fazendo castelo na areia dele?!!!
    Bom, mas isso é o meu lado racional pensando, pq meu lado emocional está dizendo: QUE DELÍCIA, UM GATINHO!!!kkk
    Bjs
    Beatriz

    • Beatriz, vc me salvou!!! Ta vendo, minha confusão mental? Eu so pensei na fofurice, no gatinho brincando com a bola, um pedaço de papel amassado, nele dormindo no nosso colo. Me esqueci completamente que OBVIO que a Lily nao vai respeitar a caixa de areia dele, nem a ração e provavelmente nem a própria integridade física do bichano, ne?

      Tenho que esperar mais mesmo, ate ela entender o mínimo. 🙂

      Obrigada! Beijos!

  14. Tem certeza que a Lilly nao quebrou a perna? A clavícula? Uma costela? Corre lá Lu…. hahahahahahahahahahahahhahahahaha

    Adorei o post. Sensacional como sempre! bj

    • Vi so amiga? E ainda saiu enteiraça, pronta pra outra! E ela repete isso todo santo dia, nao tem medo mesmo!

      Saudades de vc, vamos tentar conversar? Estarei online hoje!

      Beijos!

  15. Todo relacionamento extra curricular com ginecologista é feito de sorrisos-amarelos, olhares-meio-de-lado, incrustados numa indefectível cara-de-paisagem… Mulher que é mulher, entende o problema.
    Quanto ao terceiro rebento, não perca tempo com essas combinações algoritimicas fajutas que não entendem nadinha de como combinar Lu+Rafa. Seus lindos filhos desmoralizam o tal programa.
    Beijos da Vera (VVV na dimensão paralela)

    • Comentário inteligente deve ser de família mesmo! 🙂

      Mas foi divertido brincar com essas combinações e perceber que nao chegam nem perto do real, ne? 🙂

      Beijo pra VVV da LLL.

      😀

  16. amada amiga, teu blog ta tudo de bom…aqui no Brasil,a Mariana Kalil escreve parecido no blog Por ai, dentro do clicrbs.com.br parabens, muito sucesso, muitas felicidades.
    ah, aqui ando com vontade de comprar um shitsu…mas marido esta tendo ataques que vai sobrar para ele…imagina (cara de santa)……risos.

    • Mari, obrigada pela dica! Eu não conhecia, os textos são bem engraçados, ne? E o bizarro é que em um dos posts ela inclusive usou essa mesma imagem da mulher com cara de assustada! Quem levou susto fui eu! hahahaha

      Vou segui-la!

      Beijos!

  17. KKKKKKKKK, adorei! Olha, a realidade de cidade pequena é assim mesmo, eu pulando no pula-pula em um aniversário (eu tinha 12 anos, detalhe importante), chega minha professora no aniversário, e fala “nossa, eu achei que ela era mais madura”, pirei, abaixo as professoras vendo os alunos fora da escola. E sobre o terceiro filho, eu falei, “mãe, quando você vai ter outro filho?” e ela me respondeu “No dia que me internarem no hospício Isabelle, só nesse dia, vocês já acabam com minha sanidade mental, para que outro?”

    Beijos
    http://irmacorujando.blogspot.com.br/

  18. Tive que me segurar pra não sair descendo seu texto em busca do “terceiro rebento”… me enganou direitinho. Aaaaaaaaaa 😦 rsrsrs
    Essa história do gineco eu não fazia ideia até morar numa cidade pequena também, e pra piorar o gineco bam bam bam da cidade tinha consultório do lado de casa. Decidi que jamais passaria com ele, e nem com homem (minha preferência até então), pensa que constrangedor encontrá-lo na fila do mercadinho?!?!
    Agora, a danada da Lily sem comentários! Que habilidade meu Deus. Ela nunca me enganou com esses doces olhos azuis. Ela é uma verdadeira traquina. E sim, vc tá lascada! rsrsrs… ah mas ela é tão linda. Alivia pra ela aí vai?
    Eu vejo o vídeo e racho o bico! Sacudiu a poeira e seguiu o rumo! Garota esperta.
    Nic na capa do álbum é a cara do papai. E agora vc imagina só, ele todo querendo MAIS atenção da mama, Lily aprontando duas por dia e vc ainda pensa em arrumar um gatinho?!?! CORAJOSAAAA! rsrsrs
    Bjs.

    • Gineco vizinho? Tamo fora, né Tati? hahahaha

      Qto ao gato, ainda to pensando. É que morro de amores por esses bichos peludos e tem hora que me dá uma saudade tremenda de ter um. Mas sei que é loucura! Vou esperar um pouquinho mais. 😀

      Beijos!!!

  19. Lu como só agora vi seu post… que bom que deu notícias, mesmo que essas notícias de deixar qualquer mãe preocupada, de cabelo em pé pensando no que vem pela frente!
    Medo de desafiar, que nada, hein!? Que menina sapeca… Olha, olha, não dá para desgrudar um minuto. E a altura da cama, nossa!!!!!!
    Beijos querida e quem sabe um dia quando ela estiver dormindo a gente consegue conversar novamente via skype….rs rs rs

  20. Lu,

    Só agora vi esse post. E imagina você como foi pra mim depois do meu sonho né? Caracas!!! Eu vi no fce e vim galopante, digitando errado, a página não abria! Uma loucura! kkkkkkk

    E eu que na última conversa pelo skype ia sugerir um gato de verdade, depois de ver aquele de pelúcia! Nem imaginava! Será que vai ser um Miri? Vocë lembra? kkkkkkk

    Agora, a Lily descendo da cama, quase enfio minhas mãos na tela do computador pra segurá-la!!!!! Ah, menina!!!

    Vem, julho!!!! Hooray!

    Beijos

    • hahahahahaha!!!!

      Imagina se eu não teria te contado antes?

      Mas fiquei aqui rindo e imaginando a cena!

      E que Miri, né Patti? Queria muito outro Miri!!! Mas decidi esperar a Lily crescer um pouco mais, pra ela não ficar mexendo na caixa de areia e ração do bichano.

      E vem Julho!!!! 😀

      Beijos!

  21. Deve ser constrangedor sim o gineco fazer parte das mesmas festas, rs.

    Sério que tá precisando se ocupar Lu? Não acredito nisso. Sabe que esses dias também tava pensando em ter um bichinho em casa? Pensei e repensei eachei que o melhor seria um peixinho. mas o marido não quer, aff.

    Nós estamos tentando o segundo filho e pretendemos parar depois dele, hehe.

    A Lily é MUITO esperta, kkkk.

    Beijo!

    • Tô precisando me ocupar nada, Andreia! hahahaha Eu que sou doida mesmo!

      E qto à vc, espera ter o segundinho pra depois se decidir pelo bicho de estimação. A dinamica da casa muda MUITO com duas crianças, viu? Vamos trocando figurinhas! 😀

      Beijos!!!

  22. Luuuuuuu, a lilys ta muito sapeca! hehehe energia 100%!
    Nossa, não acredito que ela não se machucou com o “tombo” da cama… uau! menina de ferro! hehehe

    bjão e sorte com as estripulias rs

  23. hahaha, a Lily e corajosa mesmo, eu morria cada vez q a minha tinha uma queda, mas sua bixinha e muito espertinha :)….menina nao me assuste con as aprontadas do segundo filho.. ( la cigueña ya me visito ;)) hihi. e o Nic tao bonitinho, e ele ta de boa com a pequenha? a Sofia pede irmao, nao irma, e grande, nao quer bebe, nunca gostou do bebe pois baba todos os brinquedos,..acho q se eu trazer menino de 4 anos e falar q ‘e o seu irmao, ela vai amar, rsrs. Beijossss!!

    • Recebeu a visita, Gi????? Ahhhh, que noticia linda, parabéns!!! Congratulaciones! 😀

      E vamos ver se a cegonha atendeu o pedido da Sofia, ne? Um casal é bacana mesmo! Agora, pular a etapa de bebê vai ser um pouco difícil, apesar que tenho certeza que ela vai amar quando chegar!

      Beijos e outra vez parabens! Fiquei super feliz!

      Lu

      • haha, escrevi antes e apagou tudo..algo aqui na compu ta dando problemas.. Bom.. valeu menina!!!! a cegonha chegou sim! todos bem, so com os sintomas fortes, buaaaaa..dai me lembro da sua carta na mae natureza, :). Um beijao para sua familia linda!! sorte com a bixinha, menina ‘e mesmo agitada mais do que homem dizem, a minha ‘e terrivel. hehe.

  24. Uiii encontrar a ginecologista na festinha é triste. Você descrevendo os seus pimpolhos parece que está descrevendo as minhas. As chamadas por minuto da Elena e as artes sem fim da Sophia, a reorganização da casa, o gatinho… Um abraço solidário de quem entende viu! 🙂

    • Livi, então vc sabe que não é fácil, ne? Tem que ter realmente muita paciencia! E pior é quando fico sozinha com eles por varios dias enquanto o marido viaja. Eu chego a sonhar com eu falando “Nic, não faz isso”, “Nic, cuidado”, “Nic, não grita!”. hahahahaha

      Oh boy.

      E o gatinho, vai arrumar um? Eu fui convencida a adiar um pouco. até a Lily ficar maiorzinha e não querer comer o cocô do gato! 😀

      Beijo pra vc, obrigada pelo abraço!

      • O gatinho já tenho faz teeeempo, mais de 10 anos, foi o primeiro filho. Ele tem pavor das meninas, agora que está amigo da Elena pois ela enche a vasilha dele de comida 🙂
        Nem imagino como é que você dá conta quando o marido viaja, aqui fico surtada no fim do dia esperando o marido na janela. Beijo

  25. Te entendo quando diz ser constrangedor encontrar a ginecologista em locais sociais. Se te serve de consolo psicólogos e clientela também sofrem disso. Nao se preocupe você nunca estará so nos momentos de espanto e falta de graca.

    • Nanda, eu nunca tinha pensado nisso, sabia? Talvez porque eu nunca tenha tido uma psicologa antes… não por não achar que eu não precise, mas falta de me organizar pra isso mesmo. Mas agora que vc falou, melhor eu nem arrumar uma, né? Vai que eu encontro a gineco e psico na mesma festinha? Ui, melhor nem pensar! hahahaa

      Beijos!!!!

  26. olá! Acabei de descobrir o seu blog e achei fantástico, principalmente sobre as viagens! Tambem tenho 2 kids (2 e 5) e é uma loucura viver numa cidade de 60.000 hab e, vizinha da ginecologista!!!! Parabéns!

  27. Pingback: O dia que eu descobri que tem coisa pior que fazer book fotográfico |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s