O lado cômico da maternidade

Carta à Mãe Natureza – proposta de reforma

23 Comentários

Querida Mãe Natureza,

Tudo bem?

Desculpe a petulância em te escrever, eu sei que a senhora é muito ocupada, mas a senhora deve ter meu cadastro aí e deve poder ver que estou grávida, né? 4 meses e meio já, pois é, o tempo voa… E mulher grávida é assim, fala o que vem na cabeça e muitas vezes tem umas ideias que não teria em outras circunstâncias, não é mesmo? Coisas dos hormônios.

É que tem uma questão que anda me incomodando bastante, sabe?

Já reparou que quando um casal decide engravidar não existe opção senão a MULHER encarar o processo e abrir mão de um monte de coisas? Olha, dona Mãe Natureza, não estou reclamando do privilégio de se gerar um ser, longe disso. Eu mesma adoro ficar grávida, mas cá pra nós, encarar enjoos, aumento de peso, estrias, discriminação no trabalho, dores por todo o lado, incontinencia urinária, hemorróidas, coceira na barriga, limitações de movimentos, mudanças de humor repentinas, andar de pata, diabetes gestacional, entre muitas outras coisas, não é lá muito agradável, é? Claro, cada sintoma tem um porquê de existir, afinal estamos gerando uma pessoa com pele, ossos, órgãos e cabelo, eu sei!

Na verdade nem é ter esses sintomas o que mais me incomoda e sim o fato da gente passar por tudo isso enquanto O PAI da criança continua lá INTACTO e levando sua vida normalmente, sabe? Acredita que até  já ouvi falar de homens  que duvidam que a oscilação de humor e crises de choro e raiva que as grávidas têm durante toda a gravidez de vez em quando, não têm nada a ver com a explosão de hormônios dentro delas? É muito chato isso. Meu marido mesmo acha que meus atuais e frequentes lapsos de memória não passam de desculpa, veja só!

Por isso, eu gostaria muito de propor uma pequena reforma, dona Mãe Natureza, por favor não me leve a mal. Olha, não precisa ir lá na origem da fisiologia masculina e sair mudando uma porção de coisas pra gente poder se alternar com eles não. Mas que tal fazer assim: a gente gera e os homens sentem os sintomas?

Tava pensando mais ou menos o seguinte ó, veja se é possível mexer os pauzinhos aí:

Que tal AS MULHERES poderem curtir sossegadas os três primeiros meses e se focarem nos exames, em tomar o ácido fólico de cada dia e lerem tudo sobre o desenvolvimento daquele serzinho que recém formou os dedinhos, enquanto os HOMENS sentem todos os enjoos, vomitam até as tripas só com o cheiro da comida e têm tonteiras e muito sono?

Por que cá pra nós, Mãe Natureza, é meio contraproducente esse negocio de vomitar enquanto temos alguém lá dentro que depende do que comemos, né não? Mas se quem vomitar for o PAI, então problema resolvido, não acha?

Outra coisa… e esse negócio da gente ter esses desejos abruptos e incontroláveis de comer tantas coisas impróprias como pedaços gigantes de torta de nozes ou brigadeiro com colher? Não, o pior não é comer, imagina Mãe Natureza, mas sim, os níveis de glicose e os tantos quilos à mais depois, né? Mas como eu sei que tudo na casa da senhora tem um equilíbrio, que se a gente come em excesso esse excesso tem que ir pra algum lugar, então que vá pra ELES. Assim, a gente continua cuidando pra que nosso bebê não nasça com cara de torta de prestígio ou banana caramelizada, enquanto as calorias à mais migram felizes pro papai da criança. Não te parece muito mais justo? Sem falar que depois, quando a gente estiver amamentando, os quilos à mais vão embora de qualquer forma, não é isso que todos falam? ;)

Assim, acho que ficaria tudo muito mais harmônico, Mãe Natureza. As relações entre homens e mulheres ficariam mais estreitas e cheias de compreensão. Afinal, dá pra imaginar conexão mais forte que essa: minha barriga crescendo, mas meu marido perdendo o equilíbrio, tropeçando e andando com a mão apoiada na lombar inferior ? Minha pele se esticando todinha, mas ele saindo correndo feito um louco atrás do melhor creme pra passar na barriga DELE pra ELE não ter estrias? Eu conseguindo dormir a noite toda, pra me sentir revigorada dia após dia (super importante pra saúde do bebê!), enquanto ele se levanta a noite toda pra fazer xixi ou acorda com um chute nas costelas? Eu seguindo com todas as minhas atividades normais até o final da gravidez enquanto ele sente as dores nas costas, os pés inchados e todo o desconforto típico associado à esta etapa? Eu dando à luz ao bebê, o ajeitando carinhosamente nos meus seios pra mamar pela primeira vez e me preparando pra amamentá-lo em livre demanda por pelo menos 6 meses mais, enquanto ele sente todas as dores do parto e rachaduras no mamilo?

Tudo isso não contribuiria pra torná-los ainda mais engajados na maternidade e não lhes daria a oportunidade de finalmente poderem participar ativamente e entenderem TODO o processo, dona Mãe Natureza? Pensa bem.

Ah, mais uma coisa, Mami Natureba (desculpa a intimidade, mas é que depois de ter falado tudo isso, me senti tão próxima da senhora). Tem algumas coisinhas que a senhora não precisa se preocupar muito em mudar porque dá muito bem pra viver com elas, viu? Tipo, a maravilhosa sensação de borboletas na barriga, os cabelos que de repente adquirem um brilho espetacular, a pele que mais sedosa e lisa impossível, e o mágico retardamento do crescimento dos pelos da minha perna que me permitem depilar somente a cada 3 meses. Pode deixar tudo desse jeitinho, tá?

Ah, mas se quiser passar essas unhas quebradiças pra ele, também agradeço!

Beijos!

Lu

PS: Mãe Natureza, fiquei aqui pensando, agora imagina o que essa reforma não faria pra aquele homem safado que engravida duas mulheres ao mesmo tempo? Hein? ;)

About these ads

23 thoughts on “Carta à Mãe Natureza – proposta de reforma

  1. Lu, que tal fazermos um abaixo assinado e entregar a essa mãezona aí? eu assino!!!!!!!!!!!!!!!!
    Amei o post.
    Ah, acrescenta aí na lista que a mãe natureza também podia dar uma mãozinha em fazer com que o filho mais velho sinta ciúmes do papai, e não da mamãe.
    Beijocas

  2. Amei o post. Grande abraco……

  3. Lu, com todos os sintomas da gravidez, você ainda tem inspiração para nos comtemplar com um texto tão delicioso. Parabéns viu. Bom humor é mesmo um sentimento contagiante! Beijos

  4. Contem com minha assinatura, ja q ando doida pra encarar mais uma barriga. kkkkk, bjos, bloguinho, lindo e fofo jeppimentinha.blogspot.com.br

  5. Olá Lu, tava passeando por aqui e tinha que comentar. Ameeei esse texto!!! Seria tão legal se a mãe natureza aceitasse essa reforma! Hihih E muito mais justo também né? Um monte de parabens pra você… pelo blog, pelo trabalho lindo de ilustradora e pela gravidez! Beijos

  6. Ótima idéia, Lu, onde eu assino? rsss
    Beijos

  7. Lu, adorei. Se quiser fazer um abaixo-assinado pra Mãe Natureza, to dentro. Concordo em gênero-número-e-grau com tudo isso que vc escreveu! Fora que to rindo até agora… Beijos e boa sorte aí com o novo baby!!!
    Livia

  8. adorei!
    e ó, que se voceê liberar eu imprimo aqui e assino meu nome tbm… hahahahahaha

    mas vem cá… 4 meses? já?
    ô meu deus!!!!
    tô ultra curiosa… outro dia mesmo vendo seus desenhos imaginei se vier aí uma menininha. fofioces sem fim, não?

    bjoooooooo

  9. ADOREI! Tô dentro desse acordo aí, em? Porque aqui na gravidez é o caos…tirando o peixinho na barriga, que é muito bom, o resto, minha amiga, dispenso!

    Beijos,
    Nine

  10. Hahahaha
    Espero que ela te ouça!
    Ótimo post.
    Bjs

  11. Eu isa sugerir o abaixo assinado, mas tá lá no primeiro comments, então caso ela não atenda a sua carta, coloquemos esse outro projeto em prática, nada melhor que uma divisão justa! Adorei o post, como adoro as peripecias do Nicolas. Abraços.

  12. Lu amei o post e super concordo com todas a mudanças, hahahahahaha
    Bjs
    Flavia

  13. Hahahahahaha Lú, vc é otima :)
    Amei esse texto tem que ser publicado em um jornal!!! Ninguem imagina mesmo nada, só nós quando estamos gravidas! Tudo seria mais facil para o bem estar de todos que estão a nossa volta nesse periodo, hahaha, Mãe Natureza podia tratar de colaborar :)
    bjka

  14. Lu!! Aonde assina esse abaixo-assinado pra mãe natureza, que eu quero DJÁ! Mas tem que valer pro que já passou, assim as estrias calcificadas podem ir pro marido! Beijão!

  15. Gente, ADOREI os comentário e o apoio, viu? Marina, pode deixar que vou adicionar o ciúmes ao pai, bem lembrado! E Nanda, claro que tem que valer retroativo! Xô estrias calcificadas, né?

    Queremos justiça!!! :D

    Beijos!

  16. Adorei Lu! Muito justas todas as reclamações. Ótimo! Beijo

  17. Hahaha! Adorei sua idéia! E aproveitando, como vc está?

  18. Só agora vi esse post, hahahah!! Perfeito Lu!! Eu topo a troca caso engravide novamente, acho muito muito justo!! Adorei!!
    bjao!

  19. Pingback: Carta à Mãe Natureza – Proposta de Reforma (reblogado) « Nicolando por aí

  20. Pingback: O galinheiro, o sassariquento e o ataque do coala noturno |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 527 outros seguidores